Apreensão de drogas cresce mais que o dobro em MS

Balanço divulgado pelo DOF (Departamento de Operações de Fronteira) mostra que as apreensões de maconha e cocaína mais que dobraram em Mato Grosso do Sul nos quatro primeiros meses do ano.

Maconha apreendida pelo DOF é 250% maior que no ano passado - Foto: Divulgação
Maconha apreendida pelo DOF é 250% maior que no ano passado – Foto: Divulgação

De acordo com o órgão de segurança, todos os números foram superiores aos registrados em 2015, sendo que os principais foram mesmo nas apreensões de maconha, que de janeiro a abril deste ano chegaram a 19,7 toneladas, contra 7,8 no mesmo período, aumento de 250%, mantendo um índice de apreensão diário superior a 164Kg e, de cocaína que ficou em 295kg em 2016, bem acima dos 121kg interceptados em 2015, 240% a mais que o mesmo período.

Outros números apresentados no relatório de produtividade do 1º quadrimestre, mostram a apreensão de 27 armas de fogo, 141 pessoas presas em flagrante por tráfico de drogas e 39 mandados de prisão cumpridos em toda a faixa de fronteira.

O tráfico “formiguinha”, modalidade de trafico onde as “mulas” transportam pequenas quantidades de droga, normalmente em ônibus ou em carros de pequeno porte, continua em alta, sendo que quase de 80% das pessoas presas por tráfico na fronteira, incorrem nessa modalidade.

A apreensão de jovens e adolescente envolvidos no transporte de entorpecentes teve uma ligeira queda, 28 em 2015 para 24 em 2016.

A direção do DOF ainda reforçou o patrulhamento na área urbana da cidade Dourados, em apoio as guarnições operacionais da Policia Militar, tendo auxiliado e conseguido bons resultados, ajudando a aumentar a sensação de segurança.

“Estamos motivando e qualificando rotineiramente nossos profissionais e os números aqui divulgados só expressam o nível de comprometimento deles com a causa da segurança na fronteira, que mesmo em meio a eventuais dificuldades enfrentadas na rotina do nosso trabalho, tem se dedicado ao patrulhamento itinerante de fronteira e coibindo ilícitos nos mais de 1500 km de fronteira do MS com a Bolívia e o Paraguai”, enfatizou o coronel Ary Carlos Barbosa, diretor do DOF.

Comentários

comentários