Após temporal, prefeitura trabalha para a Capital voltar à normalidade

A prefeitura de Campo Grande, por meio da Secretaria Municipal de Infraestrutura e Serviços Públicos (Sisep), mantém equipes nas ruas para conter e recuperar os estragos causados pela forte chuva que caiu na tarde desta quarta-feira (3).

Com a ajuda de um caminhão pipa e pás-carregadeiras, os trabalhadores executam, neste momento, o serviço de limpeza da Avenida Nelly Martins (Via Parque), na proximidade do Parque das Nações Indígenas, onde houve o transbordamento do lago.

De acordo com a Sisep, até amanhã será executada a obra para reconstituição da encosta do gabião em um trecho do Córrego Prosa, que rompeu com a força da enxurrada. Os mesmos serviços serão feitos na Avenida Rachid Neder com a Avenida Ernesto Geisel, cujo local teve parte do asfalto arrancado. A equipe vai fazer a limpeza no local e reconstituir a pista.

A prefeitura já mobilizou a Solurb para reforçar o serviço de limpeza nas ruas e desobstrução dos bueiros. Além disso, diversas vias da cidade tiveram os semáforos desligados após a queda de energia. O serviço já foi restabelecido na maior parte dos equipamentos.

Rotatória da Avenida Rachid Neder

O prefeito Marquinhos Trad disse que ontem, logo após o temporal, foram deslocadas 500 trabalhadores para os locais atingidos e hoje esse número está em 700. O prefeito destacou a ‘raridade’ da chuva, como o Página Brazil noticiou no fim da tarde sobre quantia e volume das águas. “Os especialistas nos informaram que foi um evento raro, sem comparação”, diz Trad, completando que em 1h15, choveu 36 milímetros e a quantia grossa da chuva é que piorou a situação.

“O que chamou mais atenção, e provocou tanto estragos, como alagamentos nos principais córregos, foi explicado em linguagem mais fácil de entender, sobre a grossura das gotas de água. Foi uma chuva de densidade potencial alta”, informou Marquinhos, usando a linguagem técnica.

A Agência Municipal de Transporte e Trânsito (Agetran) irá manter equipes de plantão para garantir a segurança no trânsito, principalmente nos locais em que os estragos foram maiores, com quedas de árvores ou transbordamentos.

De acordo com a Defesa Civil, um total de seis quedas de árvores foram registrados através do número 199.

Avenida Rachid Neder com Ernesto Geisel

 

Comentários

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here