Após queda em frente do Paris 6 e vídeo viral, mulher ganha vip vitalício de restaurante

Ela ganhou um VIP vitalício do restaurante Paris 6. (Foto: Reprodução/Instagram)

Nesta semana, um vídeo de uma jovem caindo em frente ao restaurante Paris 6 circulou nas redes sociais e foi motivo de piada.

Identificada como Nathália Alves, de 27 anos, ela descobriu que a situação tinha viralizado na internet por meio de uma amiga – afinal, seus perfis do Instagram e Facebook estavam desativados há quase um ano.

Em entrevista, conta o que passou pela sua cabeça quando descobriu que a queda tinha tornado-se pública.

“De início, fiquei mal, não fazia ideia que alguém tinha filmado. Não foi todo mundo que se colocou no meu lugar. Não querendo ser moralista, mas será que o povo ia rir se eu tivesse morrido? Agora, vejo tudo com tranquilidade e leveza, dou risada”, afirmou.

A jovem ainda explicou como o acidente aconteceu:

“Cheguei a dizer para o motorista do Cabify [aplicativo de transporte individual rival do Uber] que não queria descer do carro, foi aí que o Kleber, manobrista do Paris 6, veio me pegar com a sombrinha. Ele colocou o pé na água e resolvi colocar o meu, só que eu deslizei e caí. A sorte é que levantei muito rápido”.

Mulher é arrastada por enxurrada em frente ao Paris 6. (Foto Reprodução/Youtube)

Depois do tombo, pegou um táxi e voltou para casa.

Segundo Nathália, as pessoas só se mostraram mais solidárias depois que o sócio-fundador do restaurante a procurou. Isaac Azar a ofereceu um vip vitalício – refeições gratuitas pelo resto da vida em todas as unidades do Paris 6.

Nathália pode comer de graça em todas as unidades do Paris 6. (Créditos: Reprodução/Facebook/Paris 6)

Os internautas vibraram com a ação do restaurante, mas cobraram o mesmo para o manobrista que ajudou a jovem.

“Acho que com certeza ele é um funcionário atencioso, ele não realizou só o trabalho dele. Ele foi de uma educação comigo. Tenho certeza que ele será recompensado pelo Paris e acredito que ele merece toda recompensa e atenção possível”, concorda Nathália.

Com informações Uol.

Comentários