Após 22 anos, Milton Cruz é demitido do São Paulo

Ex-auxiliar técnico estava no clube havia 22 anos, mas vinha deslocado desde o fim do ano passado, em meio às mudanças na diretoria do clube

Milton Cruz é demitido do São Paulo  (Foto: Mauro Horita/Agif/Estadão Conteúdo)
Milton Cruz é demitido do São Paulo (Foto: Mauro Horita/Agif/Estadão Conteúdo)

O São Paulo definiu a demissão de Milton Cruz nesta quinta-feira. Depois de 22 anos de serviços prestados ao clube, ele já vinha “deslocado” desde o fim do ano passado, com a mudança de diretoria.

Em janeiro, Milton deixou a função de auxiliar técnico para comandar o núcleo de análise de desempenho no clube, departamento recém-criado. Ele não acompanhava o time em viagens fora de casa, mas seguia participando dos treinamentos do Tricolor ao lado de Edgardo Bauza, no CT da Barra Funda.

Auxiliar e interino após demissões de treinadores, Milton Cruz estava há 22 anos no São Paulo.

Sua saída era cogitada desde a administração do presidente Carlos Miguel Aidar. A boa relação com o ex-técnico Juan Carlos Osorio e a consequente classificação para a Taça Libertadores no fim de 2015, quando assumiu o time interinamente, após a queda de Doriva, o ajudaram a se manter no clube até a virada do ano.

A forte ligação com o empresário Abílio Diniz, desafeto de Aidar e agora rachado com o presidente Carlos Augusto de Barros e Silva, o Leco, deixou Milton mais isolado. Sem participar do processo de contratações dos novos jogadores como antigamente, o profissional perdeu importância na visão da diretoria.

A saída de Milton Cruz marca o fim de uma era no clube. A mudança faz parte da reestruturação do futebol profissional prometida por Leco. Nesta segunda-feira, ao apresentar Luiz Antonio da Cunha no CT da Barra Funda, o mandatário disse que todos departamentos, incluindo o de análise de desempenho, estavam sendo observados. Ele também prometeu mudanças no elenco até o meio do ano.

Segundo o clube do Morumbi, Milton fez 43 jogos como técnico interino ou substituto, com 23 vitórias, 7 empates e 13 derrotas. Como jogador, foram 55 jogos: 28 vitórias, 17 empates, 10 derrotas e 27 gols.

Antes de Milton Cruz, o antigo vice-presidente de futebol Ataíde Gil Guerreiro deixou o futebol. Agora ele é diretor de relações institucionais. Rubens Moreno também saiu do clube. (G1)

Comentários

comentários