Após 21 dias, bancários aceitam proposta e encerram greve

Bancários decidiram em assembleias nesta segunda-feira (26) encerrar a greve da categoria, que se estendeu por 21 dias, informou o presidente do Sindicato dos Bancários de Campo Grande e região, Edivaldo Barros.

Foto: Guilherme Santos/Sul21
Foto: Guilherme Santos/Sul21

 

Primeiro foi a vez dos trabalhadores de bancos privados aceitarem a proposta de acordo e decidirem encerrar a paralisação. Seguiam em andamento, no início da noite, as assembleias da Caixa Econômica Federal e do Banco do Brasil. Agências devem reabrir normalmente na manhã desta terça-feira (27).

As negociações salariais aconteciam desde o dia 11 de agosto, mas apenas no final de setembro a Federação Nacional dos Bancos (Fenaban) apresentou uma proposta, de reajuste de 5,5% nos salários e demais verbas, frente a uma inflação de 9,88% no período. Os trabalhadores pediam 16% de aumento.

Na última sexta-feira (23), a Fenaban melhorou a proposta, apresentando reajuste de 10% sobre salários, benefícios e participação nos lucros. A federação também propôs correção de 14% no vale-refeição e no vale-alimentação.

Segundo a Confederação Nacional dos Trabalhadores do Ramo Financeiro (Contraf), os banqueiros aceitaram abonar 63% das horas dos trabalhadores de 6 horas, de um total de 84 horas, e 72% para os trabalhadores de 8 horas, de um total de 112 horas.

Estimativas da Contraf apontam que cerca de 12 mil agências bancárias no Brasil e mais de mil agências do RS estiveram fechadas durante a greve, o que representaria cerca de 80% do total.

Comentários

comentários