Apesar de “não ter como apoiar este homem”, PT está dividido entre Bernal e Dagoberto ou continuar com Alex

PT2O vereador Alex do PT que aponta ter negociado muito e ainda articula pretensão de disputar a eleição para prefeito de Campo Grande, pode “morrer na praia” e não ser o escolhido final do partido, ou, mesmo se ungido na convenção, pode não ter todos os militantes ao seu lado, na eleição 2016. O PT, que sempre lançou candidato, desde sua criação na Capital, quando era pequeno, passando a grande e hoje menor novamente devido a toda crise nacional que o envolve, está dividido em três partes com relação ao rumo para o pleito eleitoral. O partido tem o vereador Alex já lançado pré-candidato ao Paço Municipal, mas ainda trabalha outras opções, mesmo que extra-oficialmente, revelam os deputados estaduais da agremiação, que falaram com o Página Brazil nos últimos dias. Dois nomes de fora das hostes petistas, Alcides Bernal (PP) e Dagoberto Nogueira (PDT), e mesmo a opção por Pedro Kemp, que retornou a lista, embolam a escolha da sigla.

O deputado Cabo Almi, que já esteve na lista dos candidatos da sigla, pontua que a atual crise nacional partidária e falta de estrutura que se deve enfrentar na eleição, o levou a desistir, bem como coloca hoje, ou até a convenção final, que grupos na agremiação defendem buscar aliança para apoiar a reeleição do prefeito Alcides Bernal e outro, com membros ‘graduados’, que coloca o nome do deputado federal Dagoberto Nogueira na lista, para uma candidatura com mais envergadura do campo das esquerdas democráticas, como definem. O dilema é grande, pois o PT sempre foi cabeça de chapa, mesmo que fosse somente para marcar posição, e ainda mais, após ser a sigla que já governou o Brasil por quase 15 anos e administrou o Executivo de Mato Grosso do Sul por duas vezes, mas nunca a Prefeitura da Capital.

Cabo Almi
Deputado Estadual Cabo Almi

Para Cabo Almi, apesar da candidatura posta, a discussão ainda vai longe, pois além do já mencionado, há posições de embate, dentro das pretensões como ir para lado de Bernal. Ele aponta que não tem como caminhar com atual prefeito, tendo todo o contexto atual da administração ou falta dela. “Eu sai da candidatura, porque temos essa conjuntura atual, que coloca o partido como o culpado de tudo e não tinha estrutura à vista. Ninguém falou em ajudar, como partir para uma missão ou como se aventurar em uma imensidão dessa. E junto disse tem a situação da atual administração, que tem grupo que ainda defende ir apoiar. Mas, como voltar caminhar com um homem – prefeito- desse, que demos todo nosso apoio, mais não quis nossa experiência e ajuda. Ele não fez nenhuma outra obra, apesar de ter sido tirado do cargo. Mas, além disso, ele não dialoga com ninguém, não tem time, por isso não consegue desenvolver nada direito”, avaliou Almi.

“Campo Grande está precisando de um nome que a população acredite, confie e que seja novo com 100% de credibilidade. E não está tendo. Não tem. Esse candidato teria que estar fora ou não participado dos contextos de crise no município para ser o futuro Prefeito pensando em administrar uma Capital em crise que precisa voltar a ter a cidade nos trilhos”, finaliza Almi.

Fator Dagoberto

Alex do PT, após extensa negociação no partido para ser consenso, voltou a correr risco de não ter candidatura concretizada, pois passou a ser ‘preterido’, por alguns lideres da sigla, devido ao retorno a lista de prefeitáveis do deputado federal Dagoberto Nogueira (PDT). Apesar de ser de outro partido, mas fazendo parte do chamado ‘campo popular’, o pedetista conta com a simpatia de estrelas petista, como Zeca do PT, que até já agiu publicamente e fez menção de apoio a Nogueira, com o Página Brazil publicou a cerca de 20 dias.

Zeca e Dagoberto em campanhas anteriores
Zeca e Dagoberto em campanhas anteriores

O deputado Amarildo Cruz também reconheceu que a eleição municipal segue em discussão entre as lideranças do partido. “Temos um candidato, mas não podemos fechar as portas antes de finalizar o jogo até o apito das convenções que este ano ainda é um pouco mais longe, em agosto. Até lá temos que avaliar e sem receio de colocar que não somos mais a cabeça de chapa principal. Temos um grande aliado e um nome forte na Capital, que é o Dagoberto”, declarou o parlamentar, que ainda lembrou que o pedetista votou junto com o PT, contra o impeachment da presidente Dilma Rousseff (PT), na Câmara Federal.

Zeca do PT, no último dia 09, na Assembleia Legislativa, se reuniu com os deputados petista Amarildo Cruz, João Grandão, Cabo Almi e Pedro Kemp, onde ponderou que em Campo Grande deve se avaliar um fato novo, com a participação de Dagoberto no pleito, que é um grande nome do lado, convicções e perfil do partido. “Temos nosso pré-candidato, mas não podemos descartar esta opção, o Dagoberto é uma referência importante no campo popular, esteve e está sempre conosco. Podemos inclusive avaliar na frente por meio de pesquisas, qual a melhor possibilidade. Temos em pauta toda conjuntura política municipal, mas a estadual e federal também. O partido precisa se preparar para os desafios deste ano”, disse o grã petista.

Dentro do PT

Biffi
Biffi, presidente regional do PT

O presidente regional do PT, ex-deputado federal Antonio Carlos Biffi, afirma que por enquanto nada muda e o Partido dos Trabalhadores mantém a pré-candidatura do vereador Alex. Segundo ele, possível apoio dos petistas, deve ser discutido no segundo turno, que será inevitável. “Ninguém consegue 51% dos votos”, diz. Para vencer em primeiro turno, o candidato precisa ter a maioria dos votos válidos.

Alex ratificou sua posição, que lembra ter sido buscada e concretizada dentro do partido. Ele vê ainda com ceticismo e critica a interferência ou pratica da ‘politica de caciques’. “Sou o pré-candidato do PT, tenho história e o que apresentar para Capital. Trabalhei para isto, para construir a candidatura no partido. Dialogamos com todos os companheiros que também pleiteavam a posição. Agora não podemos fazer como outros partidos ou até já ocorrido no PT, com decisões de cúpula. Acabou época dos caciques e o partido já decidiu. Estamos com nosso nome, conversando com outros partidos, como o PCdoB, Psol e PHS, já com boas tratativas e quase fechados, havendo mais espaço para dialogo é logico. O PDT também está incluído”, apontou Alex, que no final de abril já havia anunciado a desistência do deputado Almi e disse ser nome do PT a concorrer a prefeitura.

Comentários

comentários