Antonio Denarium (PSL) é eleito governador de Roraima

Aos 54 anos, o empresário ocupa pela primeira vez um cargo público. O vice é Frutuoso Lins (PTC).

Com 95,73% das urnas apuradas, Antonio Denarium (PSL) obteve 130.872 votos votos. Anchieta Júnior (PSDB), que disputava o segundo turno, obteve 113.770 votos votos, o que corresponde a 46,50% dos votos válidos.

Antonio Denarium (PSL) comemora vitória com familiares e amigos em Boa Vista — Foto: Inaê Brandão/G1 RR

Antônio Oliverio Garcia de Almeida, conhecido como Antônio Denarium, nasceu em 1964 em Anápolis, no estado de Goiás. Filho de Valdivina e Olivério Almeida, é casado com Simone Denarium há 12 anos e tem três filhos: Carolina, Gabriel e João Antônio.

Veja o resultado da apuração: em todo o estado; por cidade; por zona eleitoral (Boa Vista).

Segundo a assessoria do candidato eleito, Denarium não possui ensino superior, mas é especialista na área financeira pelos anos de atuação no seguimento. Chegou a Roraima em 1991 para ser gerente titular de uma agência bancária. Em seguida, passou a empreender nos setores financeiro e agropecuário.

Hoje suas atividades estão focadas no agronegócio com plantios de soja, milho e na criação de bovinos, além do setor imobiliário. É também diretor-presidente do Frigo 10 e diretor da Cooperativa dos Produtores de Carne de Roraima (Coopercarne).

O mandato como governador será o primeiro cargo público ocupado por Denarium. Ele foi eleito com ajuda da coligação PRB, PTC, PRP, PROS, PSC, PPL e Patriotas.

Promessas da campanha
Durante a campanha, Denarium prometeu que, se eleito, abriria mão do salário de governador e que faria uma gestão técnica. Ainda na parte administrativa, o candidato eleito afirmou que vai vetar o uso de carros oficiais fora do horário de trabalho e que vai manter um expediente corrido nas secretarias.

A principal proposta do empresário para alavancar o setor econômico do estado é o investimento no agronegócio. Denarium prometeu recuperar as estradas e vicinais para facilitar a escoação da produção e incentivar a agricultura familiar, indígena e empresarial.

Na questão migratória, Denarium disse ser a favor de um controle rigoroso na entrada de venezuelanos em Roraima. A proposta do candidato é solicitar apoio ao Governo Federal para impedir a entrada de pessoas sem atestado de antecedentes criminais e ampliar o processo de interiorização.

Campanha
Durante a campanha, Denarium apareceu em segundo colocado nas três primeiras pesquisas feitas pelo Ibope durante o primeiro turno. Na primeira, o candidato do PSL tinha 20% das intenções de voto, na segunda o número subiu para 29% e na terceira chegou a 36%. Entre as três pesquisas, a rejeição do candidato subiu de 13% para 14%.

O resultado da votação no primeiro turno surpreende. Com 100% das urnas apuradas, Denarium ficou à frente de Anchieta com 42,27% dos votos, o equivalente a 113.468 votos válidos. Anchieta recebeu 38,78%, o correspondente a 104.114.

Na primeira pesquisa Ibope divulgada pela Rede Amazônica Roraima no segundo turno, em 19 de outubro, Denarium apareceu com 62% das intenções de voto contra 38% de Anchieta.

A rejeição do eleito era de 13% e a de José de Anchieta de 41%.

Na última pesquisa Ibope, divulgada nessa sexta (26), Denarium desceu 8 pontos percentuais, mas permaneceu na frente com 54% das intenções de voto e Anchieta com 46%. Nesta pesquisa, a rejeição do eleito subiu para 22% e de Anchieta caiu para 39%.

No decorrer da campanha, Denarium foi alvo de críticas dos adversários que alegavam fata de experiência na administração pública e o acusavam de responder processos judiciais relacionados a crimes contra a economia popular. O candidato eleito negou as acusações. No segundo turno, a rivalidade entre os candidatos se acirrou com a troca de acusações entre Anchieta e Denarium.

Comentários