Andressa Urach conta que cobrava até R$ 15 mil por duas horas de sexo

‘Fazia loucuras na cama. Gritava e beijava muito, fazia tudo que as outras não faziam’, revela a evangélica sobre a época em que foi garota de programa

Andressa Urach conta sua história de vida no livro 'Morri para viver - Meu submundo de fama, drogas e prostituição' Foto: Divulgação
Andressa Urach conta sua história de vida no livro ‘Morri para viver – Meu submundo de fama, drogas e prostituição’ Foto: Divulgação

Rio – Depois de Raquel Pacheco, a eterna Bruna Surfistinha, contar sua trajetória como garota de programa no livro “O Doce Veneno Do Escorpião”, publicação que bombou tanto ao ponto dela lançar uma segunda obra (“O Que Aprendi com Bruna Surfistinha”), chega a vez de Andressa Urach, 28 anos, hoje membro da Igreja Universal do Reino de Deus, falar sobre sua experiência como prostituta de luxo. No livro “Morri para viver – Meu submundo de fama, drogas e prostituição”, que o jornal britânico “Daily Mail” teve acesso, ela afirma que passaram por sua vida clientes ricos e famosos e também revela, entre outras coisas, que cobrava 15 mil reais por um programa de duas horas. Além disso, ela volta a falar sobre o affair com o jogador de futebol Cristiano Ronaldo e da polêmica com o hidrogel que quase lhe levou à morte.

Na obra, segundo reportagem do jornal inglês publicada nesta quinta-feira, Urach conta que se deitou com “pelo menos mil homens”, incluindo algumas das pessoas mais ricas e famosas do mundo, como empresários bilionários, cantores, atores, modelos e jogadores de futebol. Ela conta que uma vez recebeu cerca de 20 mil euros (quase 76,8 mil reais) para se passar por namorada de um cantor da música sertaneja sem que ele soubesse. O objetivo, segundo ela, seria tornar o caso manchete dos principais jornais do país e o romance, acordado com um agente do músico, teria prazo de validade: seis meses. “Eu transformei meu corpo numa mercadoria barata. Entreguei minha intimidade para centenas, quem sabe, milhares de homens em apenas 27 anos de vida”, afirma.

Prostituição

“Eu me tornei, infelizmente, uma das prostitutas mais desejadas e caras do Brasil. Eu fazia presença em casas noturnas. Se tivesse um cliente interessado em me pagar para ter sexo, o negócio era feito ali com o gerente da boate. Tudo era autorizado por mim. Eu dava um sim ou não para cada proposta antes de fechar o negócio. Eu cobrava R$ 15 mil. Mas tinha uma regra rígida. Jantar, fotos ou vídeos não eram permitidos. Eu ficava apenas duas horas dentro do quarto de hotel e o pagamento tinha de ser feito antes do ato sexual”.

Caso com jogador de futebol da Seleção Brasileira: Em julho de 2012, quando ela se preparava para competir na final do Miss Bumbum, Andressa viajou a Londres para encontrar um jogador famoso da Seleção Brasileira, que concordou pagar 4 mil euros para passar cinco dias com ela. O atleta também pagou os voos, hotel e outras despesas.

“O acordo começou em uma conversa privada no Facebook. Ele disse que era casado e tinha filhos, mas me achava muito atraente. Ele me pediu discrição antes, durante e depois dos dias que passamos juntos na Inglaterra”.

Andressa Urach / Arquivo Foto: Thiago Duran / Ag. News

Eu perguntei para ele: ‘Você sempre faz dessa forma?’. Ele me respondeu que sim e me disse que todo mês ele convidava uma brasileira para passar um tempo com ele e ele fazia questão de tratá-la com todo carinho e atenção. Eu questionei sobre a mulher dele, porque estava curiosa, e ele me revelou que ela não suspeitava de nada. Ela cuidava das crianças”.

Affair com Cristiano Ronaldo

Em março de 2013, Andressa diz ter recebido uma ligação do jogador Cristiano Ronaldo. “’Você é realmente a Miss Bumbum do Brasil?’, ele perguntou. ‘Você tem o bumbum mais bonito e eu gosto de bundas’. Eu não conseguia acreditar que tinha a chance de ter um encontro romântico com um dos principais jogadores de futebol do mundo. Eu não queria saber de ser paga nessa viagem. Eu pensei que nenhum dinheiro pagaria o sucesso de estar ao lado de Cristiano Ronaldo”.

Um mês após a conversa, Andressa foi para Madri encontrar o craque numa suíte que custava 12 mil euros a noite no Villa Magna Hotel: “Eu estava no elevador privativo da suíte e meu coração parou quando a porta se abriu. Era ele: Cristiano Ronaldo. Sorrindo, ele me convidou para entrar e nós conversamos rapidamente sobre o que iria acontecer. Então, ele me agarrou e nós tivemos uma relação sexual bem intensa. Ao contrário do que se possa imaginar, o jogador era um pouco agressivo na cama. Passamos menos de uma hora no quarto”.

Andressa ainda conta que não tinha intenção de que seu encontro virasse público, mas queria uma foto com ele para se promover no Brasil. Ao perguntar para ele, se ela poderia tirar uma foto como fã, ele respondeu: “Poderíamos tirar a foto, mas não no quarto. Me mandou descer e esperar no lobby do hotel.”

Vingança ao jogador português

“Eu esperei no estacionamento por 40 minutos até um funcionário do hotel me informar que ele já tinha ido embora. Quando peguei o elevador para ir embora, outro funcionário me pegou pelo braço e pediu: ‘Suba. Cristiano está mandando você subir’. Sem reação, eu voltei para o mesmo quarto, que dessa vez estava vazio. Eles me trancaram lá por três ou quatro horas. Angustiada, eu liguei para meu agente para pedir ajuda. Assim que estava livre, a única coisa que pensei foi em desejo de vingança”, disse ela, que contou a história a um tabloide inglês. Segundo Andressa, o jogador ligou para ela e disse: “Eu juro que a justiça será feita, sua piranha. Vou mandar pessoas atrás de você. Você não me conhece e vai ver do que sou capaz”.

Andressa Urach corre atrás da seleção portuguesa Foto: Leo Franco / Ag. News

Andressa diz se arrepender de toda confusão. “Eu gostaria de pedir desculpas públicas para Cristiano Ronaldo e a namorada dele. Se pudesse voltar ao tempo, eu escreveria uma nova página para tudo que aconteceu”.

Iniciação

Durante a publicação, Andressa contou ainda que começou a se prostituir após se separar do pai do filho dela, aos 21 anos. Uma prima, que trabalhava como dançarina em uma casa noturna em Porto Alegre, a levou para lá e, logo, ela se tornou uma das melhores do local: “Eu fazia loucuras na cama. Eu gritava e beijava muito, o que era raro entre as prostitutas. Eu fazia tudo que as outras meninas não faziam. Com o tempo e o boca a boca, meu nome virou um dos principais na prostituição do país. Eu passei a ganhar de R$ 400 a R$ 3 mil. Eu cheguei a ganhar R$ 30 mil reais por mês, trabalhando de segunda a sábado. Eu transava com sete homens em um dia. Eu desenvolvi um estranho meio de sobrevivência. Eu não sentia e pensava em nada. Eu me fiz uma pessoa vazia. Não lembrava o rosto dos homens. Quando chegava em casa, esquecia tudo que aconteceu na noite anterior como se fosse uma atriz de novela”.

Cirurgias plásticas

“Eu sempre quis ser como a Barbie, mas acabei ganhando o apelido de Wolverine devido as minhas cirurgias plásticas”, disse ela, acrescentando: “Eu amava transformar o meu corpo no que gostaria que fosse. Estava viciada em cirurgias plásticas. Não havia limites. Em média, fazia um procedimento de três em três meses e gastava mais de R$ 1 milhão nisso”.

Relação com traficante de drogas: Andressa também contou que se relacionou com um traficante de drogas casado em São Paulo, que a sufocou durante o sexo. “Ele me disse, que se eu traísse ele, ele me matava”.

Andressa Urach confessa em post que vaidade fez com que ela “passasse dos limites” Foto: Reprodução / Instagram

Caso com sertanejo

Em junho de 2013, Andressa foi convidada para uma reunião com um agente de um famoso cantor sertanejo, que ofereceu para ela 20 mil libtas para ser a namorada do cantor. “Ele me disse que eu tinha que fingir que estava saindo com o cantor. Me informou que eu teria de abraçá-lo, andar de mãos dadas e até falar – em entrevistas – sobre o lado romântico dele. Eu aceitei imediatamente, mas o detalhe é que o tal cantor não tinha ideia do esquema. Ninguém me disse isso abertamente, mas acho que era uma iniciativa do pai ou do empresário dele. Por meses, eu fui nos shows, eventos e sempre sorri ao lado dele”.

O DIA

Comentários

comentários