Ancine corta apoio para filmes com temáticas LGBT e negra participarem de festival

Marco Nanini é protagonista de “Greta”, filme de Armando Praça que estreia em 10 de outubro nos cinemas brasileiros (Foto: Divulgação/Facebook)

Duas produções brasileiras não receberão mais apoio financeiro da Agência Nacional do Cinema (Ancine) para participar da mostra competitiva do Festival Internacional de Cinema Queer de Lisboa, em Portugal, que começa na próxima quinta-feira (19).

O filme Greta e o curta-metragem Negrum3, que possuem temáticas LGBT e negra, iriam receber uma ajuda de custo de R$ 4,6 mil após serem contemplados pelo Programa de Apoio a Festivais Internacionais da agência.

Estrelado por Marco Nanini, Greta foi selecionado para o Festival de Berlim deste ano. O filme conta a história de Pedro (Nanini), um enfermeiro homossexual de 70 anos e fã da atriz Greta Garbo. Para GaúchaZH, o diretor Armando Praça afirmou que foi pego de surpresa ao saber que não iria mais receber o auxílio financeiro prometido pela Ancine.

— Eles (Ancine) alegam falta de recursos, mas a aprovação já tinha sido feita. Nesse contexto, a gente acaba ficando com a orelha em pé […]. Não posso afirmar com todas as letras que é uma censura, mas me leva a pensar que há uma falta de vontade em relação a filmes com essa temática — disse.

Praça afirma que, em princípio, está mantida a ida da equipe para Lisboa, onde o filme será exibido na mostra competitiva do festival no próximo domingo (22). Porém, “agora tudo está incerto”, segundo o diretor. Greta estreia nos cinemas brasileiros em 10 de outubro.

Já o diretor de Negrum3, Diego Paulino, escreveu um texto nas redes sociais pedindo ajuda para custeio da viagem. Ele contou que já havia comprado as passagens para Lisboa de forma parcelada pois contava com o apoio da Ancine e demonstrou insatisfação com o corte na ajuda financeira.

— Negrum3 é um filme sobre celebrar as existências múltiplas de bixas pretas, insubmissas e revolucionárias. É um filme que aponta para o futuro, mesmo que a realidade cruel tente nos matar todos os dias. Censurar Negrum3 é censurar esse cinema feito por preto, por bixa, que recria e reconta a história. Deixo pública minha indignação e repulsa ao (des)governo que assola o país — ressaltou.

De acordo com Paulino, o Queer Lisboa seria a primeira experiência internacional dele com o curta, que teve estreia há um ano e já acumulou 18 prêmios.

Em nota, a Ancine afirma que todos os apoios previstos no Programa de Apoio a Festivais Internacionais estão sendo reavaliados, em razão do contingenciamento orçamentário determinado pelo Governo Federal. De acordo com a agência, a divulgação de projetos contemplados no programa não representa garantia de que eles receberão os recursos.

A Ancine ainda afirma que 11 festivais foram cortados do programa, sob critério temporal: foram mantidos os apoios a projetos em festivais já realizados ou em curso.

Recentemente, Pacarrete, vencedor do Festival de Gramado deste ano, foi outro filme prejudicado pela decisão da Ancine de suspender provisoriamente seu programa de apoio a produções brasileiras em eventos internacionais. O filme, dirigido por Allan Deberton — produtor de uma das séries de um edital de TVs públicas censurado pelo governo no final de agosto —, teve o pedido de apoio para ser exibido no Festival de Bogotá, na Colômbia, negado.

Comentários