Amazonas aluga frigorífico para corpos de mortos em rebelião

Carro do IML chega a unidade prisional (Foto: Suelen Gonçalves/G1 AM)

O governo do Amazonas alugou contêiner frigorifico para guardar os corpos dos presos que foram assassinados durante a rebelião no Complexo Penitenciário Anísio Jobin (Compaj), em Manaus. Os cadáveres foram encaminhados ao Instituto Médico Legal (IML) da capital amazoense que não possui capacidade para receber todos os corpos. Pelo menos 60 presos foram mortos.

De acordo com o governo do estado, o contêiner vai permitir que os corpos sejam  guardados em condições apropriadas de conservação até a conclusão dos exames que buscam identificar as vítimas e as causas das mortes.

“Temos 20 gavetas no IML, vamos precisar alojar em algum lugar com dignidade para que eles sejam identificados. Todos sofreram muita violência, mesmo para mandar um recado para outra facção”, disse o secretário Sérgio Fontes.

O motim começou na tarde deste domingo (1º) e chegou ao fim na manhã desta segunda-feira (2), após 17 horas de rebelião. Assim que a rebelião chegou ao fim e os primeiros corpos começaram a ser retirados do Compaj, parentes de presos foram ao IML do Amazonas em busca de informações. Os portões do instituto foram fechados para limitar o acesso a funcionários e policiais e um grande número de pessoas aguarda na rua.

Comentários