Aliança de PSB e PMDB ‘confirmada’ pode ser desfeita a qualquer momento na Capital

carlão23-4A aliança entre PSB e PMDB para a eleição a prefeito de Campo Grande, ‘celebrada’ entre si, mas que está ‘enrolada’ para ser ratificada oficialmente, com nome do candidato ungido, pode mesmo chegar ao fim do prazo de definição e não ser concretizada. O fato é que além de haver o desejo de ambos os partidos de terem a cabeça de chapa, há a convicção de candidatura própria dos dois lados ou mesmo de se aliar a outro candidato com maior chance de disputar o Paço Municipal. A preocupação é em vencer ou no minimo de ter com a chapa, a contribuição para eleição da proporcional, que elege os vereadores. A analise da conjuntura, com a novidade de abandonar a aliança, não sendo a mesma, ainda nem oficial, é do presidente licenciado do PSB da Capital, vereador Carlão, que admitiu nesta terça-feira (21) ao Página Brazil, a situação do seu partido.

“O partido já definiu que a melhor posição é ter candidatura própria, ou ser vice de alguém com chances de se eleger. Tiramos a nossa presidente regional, a deputada federal Tereza Cristina, como nossa candidata cabeça de chapa. Mas, o PMDB também lançou o deputado Marcio Fernandes, que temos que resolver a questão. O PSB quer que ela seja e deixamos nas mãos delas, respeitando decisão do diretório e que ela não pense em projeto pessoal, mas no partido. O importante é participar e tiramos estar em uma majoritária e podemos estar nesta ou em outra aliança. Temos que avaliar também se é vantagem ser apenas vice e quanto este ou aquele candidato pode contribuir com o crescimento do partido na Câmara também”, avaliou Carlão.

O vereador lembrou que as lideranças dos dois partidos já se reuniram diversas vezes prometendo definir o candidato, que incluía até mês passado uma terceira legenda, o PR (Partido da República). Contudo, os Republicanos, acabaram saindo, e, peemedebistas e socialistas confirmaram na semana passada que os dois formariam aliança para a eleição em Campo Grande, mas o candidato só será definido mais tarde. A informação foi confirmada, nesta segunda-feira (20), por Fernandes (PMDB), que pode ser definido pré-candidato ou ainda apoiar o nome de Tereza Cristina (PSB), que é a escolhida dos socialistas, mas resisti a candidatura, que também é uma deliberação da executiva nacional. A deputada apontou do último encontro que se reunirá com o diretório nacional nesta semana e pode sair de lá como pré-candidata.

“A nossa presidente que vai definir enquanto partido e como candidata que é o nosso nome. Ela se enquadra em tudo que apontamos e pode crescer, pois é novo nome, não tem rejeição e vai se apresentar muito ao eleitor. Por isso temos que ver se é bom ser apenas vice, que no caso até já nem seria a deputada, que tem que ser a cabeça de chapa. Mas, ela reluta por outros projetos que deve ter também e que deve ver com nacional, pois se é pedido do partido tem que avaliar muito, mas ver se o mesmo tem estrutura para manter também o pleito. Por isso que Tereza, o PSB tem que tomar decisão certa, que leva tempo e temos ainda certo tempo para isso, até prazo final em julho”, lembrou Carlão.

PMDB agora em espera para apoiar

Segundo Marcio Fernandes, que foi lançado pelo partido, o PMDB agora, está em espera para apoiar Tereza, após ela que se encontrará com lideranças do partido em reunião nacional que ocorrerá em Brasília, nesta quarta-feira (22). Na ocasião, a pauta será as eleições nas capitais e se, a legenda pedir pela candidatura da deputada federal, ela será a candidata e o PMDB a apoiará. “A escolha é dela (Tereza Cristina). Se ela quiser ser pré-candidata, nós apoiaremos”, disse. A decisão sobre o nome deve ocorrer até sexta-feira (24).

Marcio disse que ele pode ser candidato a vice de Tereza, assim como o contrário. “Também podemos trazer uma outra legenda para o grupo e esta indicar um nome para formar a chapa majoritária”, explicou.

Comentários

comentários