Agronegócio fatura US$ 80 milhões com soja e milho no bimestre

O agronegócio sul-mato-grossense faturou US$ 80 milhões com vendas de soja e milho no mercado internacional durante o primeiro bimestre de 2021. Essa informação consta no mais recente boletim Casa Rural divulgado pela Famasul (Federação da Agricultura e Pecuária de Mato Grosso do Sul).

Conforme o documento, a oleaginosa rendeu US$ 7.231 milhões graças à exportação de 18.199 mil toneladas. Somente a China comprou 17 mil toneladas e pagou US$ 6,8 milhões.

Já o milho garantiu US$ 76.798 milhões em receitas no bimestre, com 429.850 mil toneladas exportadas. O principal destino do cereal produzido no Estado foi o Egito, que injetou US$ 20,9 milhões na economia estadual pela importação de 20,9 mil toneladas.

O boletim Casa Rural informa ainda que entre 1 e 8 de março a saca da soja atingiu cotação de R$ 160,00, avanço nominal de 100,17% no comparativo com igual período do ano passado, quando era comercializada a R$ 78,02.

“A volatidade do câmbio contribuiu para esse aumento das cotações no mercado doméstico, a moeda americana fechou no dia 08 a R$ 5,84, alta de 4,59% entre 01 e 08 de março, registrando maior patamar desde maio do ano passado”, detalha a publicação.

No caso do milho, foi apontado que as cotações no mercado interno seguem pressionadas diante das preocupações com o atraso da semeadura no país. “Quanto ao preço médio do mês de março cotado a R$ 73,18, no comparativo com março do ano passado, houve avanço nominal de 66,53%, quando o cereal havia sido cotado, em média, a R$ 43,94/sc”, indica.