Advogados recorrem ao TRF para livrar Puccinelli de fiança e tornozeleira

Os advogados de André Puccinelli (PMDB) foram na tarde desta quarta-feira (17), ao TRF3 (Tribunal Regional Federal) da 3ª Região, que fica em São Paulo, para tentar liberar o ex-governador de ter de pagar a fiança de R$ 1 milhão e garantir que ele não seja preso.

Ex-governador está com tornozeleira desde a quinta-feira passada,

Desde a semana passada, quando a operação Máquinas de Lama foi deflagrada pela Polícia Federal, Puccinelli está usando tornozeleira.

O habeas corpus foi impetrado hoje por Antonio Claudio Mariz de Oliveira e Sergio Eduardo Mendonça de Alvarenga, que são advogados de escritório paulista que defende o ex-governador.

Até segunda-feira (15), Renê Siufi, o advogado de Puccinelli em Campo Grande, só havia feito pedidos à 3ª Vara da Justiça Federal, na Capital, que concedeu os mandados de busca e condução coercitiva, além de impor a fiança e outras medidas restritivas diversas da prisão contra o ex-governador.

Além de pedir que Puccinelli não seja obrigado a pagar a fiança, que tem prazo vencendo na próxima segunda-feira (21), os advogados querem que o ex-governador deixe de usar a tornozeleira, que controle horário que ele deve estar em casa, por exemplo. Se não pagar o valor estipulado pela Justiça, o ex-governador pode ser preso. O habeas corpus já foi distribuído e deve ser julgado pelo desembargador Paulo Fontes.

O advogado Sergio Eduardo Mendonça Alvarenga acredita que até sexta-feira o desembargador federal tenha tomado uma decisão. Foi ele quem deu o habeas corpus a Andre Cance e também julgará o pedido de liberdade do dono da Gráfica e Editora Alvorada, Mirched Jafar Junior, que hoje completa o sétimo dia preso.

Comentários