Adolescente denuncia padrasto por estupro

Redação

Suspeito de 51 anos foi preso na quinta-feira (18) após a Polícia Civil pedir prisão temporária – Foto: Divulgação/PC

Uma adolescente de 17 anos, denunciou o padrasto por abusos sexuais sofridos desde os 9 anos de idade. O caso aconteceu em Anaurilândia, distante a 370 quilômetros da capital.

O caso foi descoberto depois que a vítima passou a resistir aos abusos e contar aos familiares o que estaria ocorrendo, e posteriormente, tomar coragem e denunciar o padrasto.

De acordo com o Nova News que teve acesso junto ao delegado responsável pelo caso, Robson Ferraz Gonçalves, o suspeito, de 51 anos, foi preso na quinta-feira (18) após a Polícia Civil pedir a sua prisão temporária, que foi deferida pelo Poder Judiciário, com base nas investigações realizadas desde o início do mês quando a adolescente delatou os fatos.

Segundo as informações, o acusado nega os fatos, mas o delegado aponta que há elementos que provam os abusos. “Com as investigações ainda em andamento, os indícios remetem de fato aos episódios sofridos pela vítima. A mãe da adolescente alega não ter conhecimento do que acontecia com a filha e, pelo que descobrimos, ela também era vítima do suspeito com base em um longo histórico de violência física e psicológica. Em resumo, as duas eram vítimas de violência dentro de casa por muitos anos”, aponta Gonçalves.

O suspeito, indiciado por estupro de vulnerável, hoje está aposentado e antes trabalhava como motorista de ônibus escolar em uma empresa terceirizada que presta serviços no município, e além ainda de que os abusos teriam começado pouco tempo depois de começar a se relacionar com a atual companheira.

“O inquérito deve ser concluído no final da próxima semana. Estamos aguardando a elaboração de um laudo psicológico e outras diligências para o fechamento das investigações e, desta forma, colocar o caso à disposição da justiça para a devida apreciação”, expôs o delegado finalizando que espera sempre contar com a colaboração da sociedade para denunciar este grave tipo de crime.

Comentários