Acidente com explosão de caminhão-tanque envolve 12 veículos na BR-277, no Paraná

Um caminhão-tanque carregado de combustível, que seguia sentido Paranaguá, perdeu os freios e tombou no quilômetro 33 da BR-277, perto de Morretes, no Litoral do Paraná, por volta das 18h30 de ontem (3). A carga explodiu e, segundo informações da Polícia Rodoviária Federal (PRF), três pessoas morreram.

Um bebê, segundo a polícia, foi encontrado com vida no meio do mato próximo a um veículo com duas pessoas que morreram carbonizadas. A PRF suspeita que os próprios pais teriam atirado o bebê para fora do carro a fim de salvar a criança. O bebê foi socorrido e levado até uma ambulância, informa o inspetor da PRF, Wilson Martinez.

A PRF confirmou que ao todo 13 veículos se envolveram no acidente, sendo 12 automóveis e mais o caminhão. O motorista do caminhão está vivo e irá prestar depoimento sobre o que aconteceu, segundo a PRF. O incêndio foi controlado por volta das 19h30. A distância do primeiro carro e do último automóvel atingido pelo caminhão pode ser de um quilômetro.

Foto: Daniel Castellano/ Gazeta do Povo
Foto: Daniel Castellano/ Gazeta do Povo

Socorro

Um caminhão do Corpo dos Bombeiros foi até o local para conter as chamas, que eram intensas, e as viaturas da PRF também se dirigiram ao local.

Equipes da PRF chegaram a escoltar duas ambulâncias para socorrer as vítimas. A polícia confirmou que uma delas estava em estado grave e seguiu em direção ao Hospital Evangélico, em Curitiba, que é referência no atendimento a queimados.

Informações dão conta de que pelo menos outras cinco pessoas também foram encaminhadas para atendimento em hospital de Paranaguá. Seis guinchos se dirigiram para o local do acidente. A PRF irá informar o número exato de mortos e feridos quando a situação estiver controlada e a operação for finalizada.

Trânsito

Os dois sentidos da pista seguiam bloqueados até perto das 22h. Segundo a concessionária Ecovia, às 20h30, havia bloqueio de tráfego a partir do km 59 da BR-277, no sentido Paranaguá.

A pista do acostamento foi liberada, perto das 21 horas, para a descida, com cerca de 2 km de lentidão. Já no sentido Curitiba, também houve bloqueio na pista com lentidão de cerca de 3 km.

“Parecia uma avalanche”

Sobrevivente deste acidente na BR-277, Luiz Francisco da Silva, de 39 anos que reside em Curitiba, conta que se assustou quando viu o caminhão pegando fogo indo em direção de seu carro. “Parecia uma avalanche vindo. O caminhão perdeu o controle e invadiu a pista de quem sobe o litoral. Nisso ele foi tombando já pegando fogo e atingindo quem estava na frente”, relata.

Quando viu que ia ser atingido em cheio pelo caminhão em chamas, Luiz jogou seu carro para o lado. “Nisso o caminhão passou, mas as rodas atingiram meu carro. Sorte que não me machuquei”, conta. “Vou ter que comemorar meu aniversário em dois dias a partir de agora”, comenta.

A cena foi trágica. “Era muito fogo, muita gente desesperada. Muitos carros tentaram escapar do fogo e jogaram o carro na canaleta, mas foi bem ali que o combustível se espalhou. Isso fez o incêndio atingir os veículos que ficaram por ali”, relata.

Gazeta do Povo

Comentários

comentários