Ação inédita em MS une reitores em articulação estadual de universidades

Foto Divulgação

Na manhã desta segunda-feira(30), reitores das principais Instituições de Ensino Superior sul-mato-grossenses reuniram-se para propor uma agenda articulada de ação universitária no Estado. Já no primeiro encontro, os dirigentes institucionais da UEMS, UFMS, UFGD, UCDB e IFMS elencaram quatro eixos principais de atuação coordenada, nas áreas de: Ciência, Tecnologia e Inovação; Turismo e Cultura; Internacionalização; e promoção de ações com foco na busca por uma educação de excelência em Mato Grosso do Sul. A reunião foi realizada na Universidade Federal de Mato Grosso do Sul.

Para o reitor da UEMS, Fábio Edir dos Santos Costa, a iniciativa pioneira tem grande potencial para mobilizar e coordenar a atuação das universidades em Mato Grosso do Sul. “Todas as nossas instituições já desenvolvem parcerias em projetos isolados, mas o que estamos buscando aqui é algo muito maior que ações pontuais. Trata-se de canalizar as principais potencialidades de cada universidade em benefício direto da sociedade sul-mato-grossense, particularmente, neste primeiro momento, em temas relacionados aos eixos de atuação elencados pelo grupo de reitores”, disse o reitor.

Marcelo Turine, reitor da UFMS classificou como “histórica” a iniciativa de articulação das universidades que, segundo ele “decidiram aliar estratégias com o objetivo de promover a excelência da educação superior no Mato Grosso do Sul”. Turine complementou explicando que por meio da constituição de uma espécie de Fórum, será possível compartilhar experiências e definir áreas de prioridade para educação com atenção aos desafios globais e à construção de sociedades mais justas e igualitárias.

Lei de inovação e qualidade na educação

A próxima reunião do grupo, marcada para o dia 20 de fevereiro na unidade da UEMS em Campo Grande, terá como um dos principais temas a discussão sobre a lei estadual de inovação. Na ocasião já será apresentada uma minuta inicial com objetivo de que a partir dos apontamentos de cada instituição, o grupo possa propor uma normatização adequada para regular e estimular ações com foco em inovação tecnológica.

Para o reitor da UFMS, Marcelo Turine, que nos últimos anos presidiu a Fundect (Fundação de Apoio ao Desenvolvimento do Ensino, Ciência e Tecnologia do Estado de Mato Grosso do Sul), é essencial que o Estado se prepare para atuar de forma mais profissional no campo da inovação científica e tecnológica, por isso a prioridade em debater o tema já no início da articulação entre as universidades.

No encontro de fevereiro também serão discutidas alternativas para formalização jurídica do grupo, criando assim uma entidade capaz de se mobilizar em nome da educação superior de Mato Grosso do Sul.

Reitora da UFGD (Universidade Federal da Grande Dourados), Liane Calarge chamou também a atenção para a necessidade desta articulação render frutos na qualificação da educação em MS. “Vamos avaliar os nossos cursos, campus e universidades visando a excelência da educação. Nosso principal desejo é transformar o Mato Grosso do Sul em uma grande referência para o Brasil, para atrair estudantes e pesquisadores de todos os cantos do país”, pontuou Liane.

Os reitores Luiz Simão Staszczak, reitor do Instituto Federal de Mato Grosso do Sul, e Pe. Ricardo Carlos da Universidade Católica Dom Bosco, também participaram do encontro e apoiaram a iniciativa de articulação interinstitucional.

Comentários