Abdelmassih ocupa cela próxima à enfermaria no presídio em Tremembé

Do G1

ex-médico Roger Abdelmassih, que voltou à prisão em Tremembé neste sábado (1º), divide a cela com outros três detentos enfermos. O espaço, que tem duas beliches e um banheiro, é o mais próximo à enfermaria da unidade.

De acordo com o G1, Abdelmassih, bem a noite – ele não necessitou de atendimento médico. Dividem a cela com o ex-médico presos que são hipertensos ou diabéticos – a cela e os companheiros são os mesmos com quem o detento convivia antes de deixar a prisão para ser internado, em maio.

O detento retornou ao presídio em Tremembé 12h30 de sábado, um dia depois do Tribunal de Justiça (TJ-SP) revogar a prisão domiciliar que ele cumpria há uma semana. O benefício havia sido concedido pela juíza da Vara de Execuções Criminais (VEC), Sueli Zeraik, por causa de problemas de saúde que Abdelmassih enfrenta. Em casa, ele era monitorado por uma tornozeleira eletrônica.

A prisão domiciliar foi anulada na última sexta-feira (30) depois de um pedido do Ministério Público. Para a promotoria, o ex-médico não “cumpriu pena suficiente para qualquer espécies de progressão de regime”.

O promotor Luiz Marcelo Negrini afirma também que um laudo médico realizado por um perito nomeado pela Justiça não demonstrou que ele precisava deixar o presídio para receber o atendimento médico que precisa.

Vigiado

No regresso do preso ao presídio em Tremembé, o quadro clínico do detento será monitorado e, caso se agrave, ele pode ser levado a um hospital em Taubaté.

Antes de ir para casa no último dia 23, Abdelmassih permaneceu por 40 dias internado em um hospital particular por causa de uma broncopneumonia. O preso, de 74 anos, sofre também de problemas crônicos cardíacos desde a década de 1980 e tem oscilado entre períodos de consciência e confusão mental.

Habeas

O advogado do preso, Antonio Celso Fraga, disse que vai entrar neste domingo com um habeas corpus para que Abdelmassih deixe novamente a prisão.

Comentários