Abastecimento na Ceasa é restabelecido, mas preços continuam elevados

Da Redação/JN

Após o fim da greve dos caminhoneiros, o abastecimento na Ceasa de Campo Grande foi restabelecido nesta sexta-feira (1º de junho), mas os preços apesar de terem recuando em diversos produtos, continuam elevados para vários itens.

Oferta de produtos foi normalizada nesta sexta-feira (1º) na Ceasa de Campo Grande (MS) (Foto: Alexandre Cabral/TV Morena)

Segundo o gerente de abastecimento da Ceasa, Cristiano Chaves, nesta madrugada chegaram a unidade cerca de 200 caminhões com produtos, o que normalizou a oferta de diversos itens que estavam com estoques baixos ou esgotados, em razão da manifestação dos caminhoneiros.

A maior disponibilidade de produtos, entretanto, não foi suficiente ainda para normalizar os preços. A saca de 50 quilos da batata, que antes da greve custava entre R$ 100 e R$ 120 e que durante o movimento chegou a ser comercializada a R$ 350 , caiu pela metade do preço e foi negociada nesta sexta-feira a R$ 170.

A previsão, conforme o gerente da Ceasa, é que para produtos como a batata, a cebola e o tomate, entre outros, a regularização dos preços em decorrência do restabelecimento da oferta, ocorra até a próxima terça-feira, com os valores atingindo os patamares que eram praticados antes da greve.

Neste dia 1º, além do restabelecimento da operação normal, a Ceasa de Campo Grande começou a operar também em um novo horário. A partir das 4h abre para receber os permissionários e os colaboradores e às 4h30 os compradores.

 

Comentários