90 alunos do Colégio Militar de Campo Grande passam mal e vão parar no pronto socorro

Cerca de 90 alunos e militares do Colégio Militar de Campo Grande, deram entrada na emergência do Hospital Militar (HMilACG) apresentando sintomas de vômito, diarreia e dor de cabeça, entre os dias 7 e 8 de setembro. Segundo a assessoria da instituição, a suspeita é que seja uma virose.

Cerca de 90 alunos do Colégio Militar de Campo Grande foram parar no pronto socorro após passarem mal. (Foto: Fernando da Mata/G1 MS)

Cerca de 110 alunos e militares do Colégio Militar de Campo Grande, deram entrada na emergência do Hospital Militar (HMilACG) apresentando sintomas de vômito, diarreia e dor de cabeça, entre os dias 7 e 8 de setembro. Segundo a assessoria da instituição, a suspeita é que seja uma virose.

De acordo com o colégio, todos os alunos e militares foram atendidos, medicados e liberados. A assessoria do colégio, informou que está em contato com a direção do hospital para saber o que aconteceu e presta todo o apoio aos alunos, familiares e militares.

Segundo uma aluna da instituição, de 17 anos, que não quer ser identificada, ela conta que começou a passar mal logo após o desfile cívico de 7 de setembro. A garota que ainda não está totalmente recuperada, disse que teve 38.9 graus de febre, diarreia e ânsia de vômito.

Segundo uma nota divulgada pelo Colégio Militar, as 90 crianças levadas para o hospital, são do ensino médio. Eles descartaram a possibilidade de ser intoxicação alimentar e acreditam em uma possível contaminação por ‘rotavírus’.

A nota explica, que o frio que teve em Campo Grande no começo de setembro, pode ter favorecido a contaminação, já que, nos dias 3, 4 e 5, os alunos ficaram em salas de aulas o tempo todo fechadas.

Ainda segundo a nota, muitos alunos bebem água e se alimentam no colégio e, se tivesse ocorrido algum tipo intoxicação, mais estudantes teriam apresentado os mesmos sintomas.

O Comando do Colégio Militar e o Hospital Militar, afirmam que serão realizadas análises laboratoriais em alimentos, bem como na água do Colégio, a partir da próxima segunda-feira (10). Também será levantado se outras pessoas apresentaram os mesmos sintomas, mas não procuraram atendimento médico. Só depois, será possível indicar a causa da possível contaminação.

Comentários