28-05 – BANDIDO. VÍTIMA DA SOCIEDADE?

coronel_david[1]

BANDIDO. VÍTIMA DA SOCIEDADE?

28extraNunca se falou tanto em facas como nos últimos dias. Descobriram até que portar arma branca não é crime. Fica claro ao ler a norma contida no artigo 19 da Lei de Contravenções Penais que o legislador tratava não de quaisquer tipos de armas, mas especificamente das armas de fogo, já que fala em “arma ou munição” e exige também a suposta “licença da autoridade”, o que jamais existiu em termos de armas brancas.

Tanto é verdade, que existe em tramitação na Câmara dos Deputados o PL 2.967/04, de autoria do Dep. Lincoln Portela, do PR/MG, que objetiva proibir o porte de armas brancas.

Isto é resultado dos últimos acontecimentos no Rio de Janeiro, que lamentavelmente foi palco de inúmeros crimes praticados por facas.

Um dos crimes, o que vitimou o médico Jaime Gold, enquanto andava de bicicleta na orla da Lagoa Rodrigo de Freitas, provocou uma forte reação da população carioca. Por conta disso o Jornal Extra, do Rio, fez uma matéria, que foi muito comentada nas redes sociais, cujo título já sugere que a culpada pelo homicídio do médico é a sociedade. A manchete foi esta: “Duas tragédias antes da tragédia – Sem família e sem escola”.

A matéria é sobre o menor infrator, autor da morte do médico. Ela fala da trajetória do adolescente de 16 anos, que foi apreendido pela primeira vez quando tinha 11 anos. O coitadinho já tinha quinze passagens pela polícia. É dito na matéria que o menor só viu o pai duas vezes. Que a mãe o abandonou nas ruas. Que ele desistiu dos estudos. E que a sociedade e a escola desistiram dele também. Então chegaram à conclusão que ele foi vítima das circunstâncias. Nesta quarta, dia 27 de maio, a polícia apreendeu o outro menor envolvido neste crime.

Todos nós, certamente, conhecemos muitas pessoas de bem que não conheceram nem o pai e nem a mãe, e, no entanto, as circunstâncias não conseguiram transformá-los em bandidos. Conheço muita gente que venceu o preconceito, a pobreza, e tornaram-se referência na sociedade, como por exemplo, o juiz Odilon de Oliveira, e o ex-ministro do STF Joaquim Barbosa. Como existem também pessoas que não conheceram a pobreza, não conheceram o preconceito, mas viraram bandidos.

E então, a culpa é da família, é da escola, é da sociedade?A culpa é sua? Esta justificativa de culpar os outros é própria de uma ideologia barata que quer incutir na cabeça das pessoas, de qualquer jeito, o que eles pensam. Os doutores em direitos humanos dizem que a culpa é de um conjunto de fatores internos e externos que influenciam na construção da personalidade do criminoso. Como tem gente hipócrita no Brasil.
A culpa não é da escola, nem da família, e muito menos da sociedade. A culpa é do próprio bandido que escolheu trilhar o caminho do mal.

A culpa é da lei fraca que afaga o bandido maior e menor de idade e desgraça a vida do cidadão. A culpa é da corrupção e dos corruptos que roubam a nossa esperança de dias melhores na educação, na saúde, na segurança.

Pergunto ainda: o homem que, no domingo, em Sidrolândia, espancou e matou uma criança de dois anos, também foi vítima das circunstâncias? Respondam prá mim os que apóiam esta tese.

Daqui a pouco vão dizer que o culpado é o médico de ter nascido. Se ele não tivesse nascido o pobre adolescente, sem pai e sem mãe, oprimido pela sociedade, não teria lhe matado a facadas.

Ao cidadão resta o caminho da indignação, da cobrança aos políticos. Se ele não se indignar, se ele não cobrar, se ele não der um basta nisto tudo, a próxima facada poderá ser nele.

Comentários

comentários