20-12-2018 – Enganadores

Alexandre Garcia

Aumenta a cada dia o número de pessoas que superaram o constrangimento e denunciam o curandeiro João de Deus por abusos sexuais. Precisou uma vítima europeia desabafar a violação que sofrera para encorajar as demais. João de Deus foi um milagreiro de sucesso; atraiu milhares de pessoas, de todos os níveis e lugares para a sua Abadiânia, que cresceu em função do seu centro de curas e milagres. Teoricamente, nada cobrava, era um benemérito, mas quando se viu acossado, imediatamente baixou de suas aplicações bancárias 35 milhões de reais.

Assim como ele, o Brasil tem muitos que se aproveitam da boa-fé de pessoas desesperadas, sem esperança. Apelam para curandeiros, milagreiros, demagogos, populistas, falsos benfeitores, com toda a força de sua fé. Milhares foram a Abadiânia nessa situação; milhões foram às urnas. “Ele vai me ajudar” – tem sido a convicção do doente e do eleitor. O resultado tem sido sempre favorável ao alvo da esperança do desesperado: se locupleta e desfruta do poder que lhe dão as pessoas. Um se aproveitando para roubar prazeres sexuais, outros para roubar o patrimônio e os impostos do povo.

Alguns desses, inclusive João de Deus, já estão na cadeia. Outros estão a caminho dela. E hoje olhamos para trás pasmos por saber que por tantos anos um e outros desfrutaram de conceito e respeito, embora tenha sido evidente a ilegalidade de suas atividades. Fomos ingênuos, cegos, alienados, omissos. Pior: de certa forma fomos cúmplices, parceiros necessários para que eles continuassem, por tanto tempo, com o aval de nossa omissão, enganando e enriquecendo ilicitamente.

Parece que foi a Lava-jato que nos sacudiu e nos fez acordar  da letargia que resistira ao mensalão. Talvez tenha sido também  a nossa paciência esgotada pelo tamanho dos escândalos. As últimas eleições, mostraram isso. A municipal deu sinais fortes de mudança e neste ano as urnas confirmaram a revolta, no voto que foi um grito de basta. Milagreiros, curandeiros, populistas, demagogos, mentirosos, enganadores do pobre povo brasileiro – pobre de espírito ou de conta bancária – parecem estar no fim. E, se estiverem mesmo no seu tempo de juízo final, isso, sim, será um grande milagre.

 

Comentários

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor, insira seu cometário!
Por favor, insira seu nome aqui