20-05 – Pedro Mattar – A VIDA COMO ELA É

Pedro

Pedro Mattar

Nelson Rodrigues, de novo.  Ganhar na mega sena, depois transformar a vida num puteiro festivo e decretar feriado o tempo que resta. Nunca mais o gerente do banco irá ligar pra avisar que o meu saldo tá negativo – como se eu já não soubesse. Nunca mais aquelas cartinhas alertando que “se você já quitou o valor referente a está parcela, desconsidere este aviso”. Não mais aquela sensação de culpa por saber que exagerei no limite do crédito disponível e ignorar  como acertar as contas no dia dez. Nunca mais.

Prezado leitor e leitora,  vejam ai na imaginação de vocês se consta a possibilidade de acertar a mega sena da virada e receber, de uma hora para outra, 170 milhões de reais numa tacada só. O que fariam com essa grana? Doariam para associações de caridade, para causas justas, enviariam para as vítimas de terremoto, de tsunami ou outra catástrofe?

Vou ser sincero: separaria quinhentos reais para dividir entre os pobres mais necessitados, e iria pra Paris pensar o que fazer com os restantes cento sessenta e nove milhões e novecentos e quinhentos mil reais.  Por que Paris? Sei lá, com tantos milhões no banco não é justo me cansar escolhendo cidades. Pagarei para que pensem por mim em Paris, lá pelo menos conheço alguns bons restaurantes pra acomodar meu previsivel tédio.

São os sonhos que nos levam de carona pro dia seguinte. Sem eles a gente talvez não sobrevivesse aos desencantos do cotidiano. Mas com grana no banco até os desencantos são descartáveis.  Saldos bancários positivos e sem limites são tão instigantes que acabam levando a gente a um estágio de letargia, é possível que eu não saiba o que fazer com a ausência de problemas. Nada negativo, tudo perfeito, nenhum cobrador na porta, nenhum vencimento pendente e a dúvida sobre o que fazer diante de uma situação inusitada.

Ganhar na mega sena  é pura coincidência. Basta coincidir os números da sua aposta com aqueles das bolinhas do globo usado no sorteio. Já comparei os acertos de um sorteio da mega cena com a perspectiva de ser acertado por uma bala perdida em uma geleira no Ártico. Acho que o grande segredo de um dia acertar, é não esperar por isso. Porque é uma possibilidade tão sem lógica que é melhor relaxar e comer alfafa, pra disfarçar. Se você não acertar, torça para algum amigo fazê-lo.

Ontem um amigo me mostrou números que irão mudar sua vida. E que podem beneficiar a minha. Disse que havia sonhado com aquelas dezenas (me mostrou as anotações) e, ao acordar, lembrou claramente de cada uma. Não teve dúvida, anotou-os e correu para a lotérica. Li no papelzinho dele: 13, 19, 33, 43, 55 e 63. Na lotérica, disse ele, cravou toda a sequência em um cartão da mega sena. Vai correr nesta quarta, afirmou, e prometeu  que irá me dar um troco. Logo em seguida pensou melhor e mudou a promessa, disse que me levará a Paris, classe executiva e ficaremos num hotel de primeira linha.  Tudo pago. Possivelmente o George V  ou o Ritz.  Olha eu de novo em Paris, de carona na aposta dele.

O fato é o seguinte: você sai da lotérica com os recibos de aposta na mão e um só pensamento na cabeça: quem sabe agora é a minha vez, caralho.  Amigos, o dia seguinte é só uma possibilidade. Melhor viver o que for possível, agora.

[email protected]

 

Comentários

comentários