1ª etapa de vacinação contra aftosa imuniza 99,20% de rebanho no Estado

A primeira etapa de vacinação contra febre aftosa de Mato Grosso do Sul realizada nos meses de abril e maio atingiu o índice de 99,20% de rebanho imunizado. A informação foi apresentada através do informativo técnico da Iagro (Agência Estadual de Defesa Sanitária Animal e Vegetal).

Foram imunizadas 19.986.781 cabeças (Foto: Edemir Rodrigues)
Foram imunizadas 19.986.781 cabeças (Foto: Edemir Rodrigues)

Segundo o relatório, nesta etapa foram imunizados 19.986.781 bovídeos de um total de 20.148.182 cabeças, não sendo considerado nesta etapa o rebanho bovídeo das propriedades pantaneiras optantes pelo mês de novembro, que tem um total de 505.058 cabeças.

Mato Grosso do Sul tem tido um alto índice de vacinação ao longo dos últimos oito anos, o que segundo o informe técnico da Agência deve-se à conscientização do setor produtivo de manter o reconhecimento do status sanitário de área livre de febre aftosa com vacinação pela OIE (Organização Mundial de Saúde Animal). Essa posição foi alcançada em 2008 pelas regiões do Planalto e Pantanal e em 2011 pela Zona de Fronteira de MS.

Nesta primeira etapa de 2015, a Iagro realizou o trabalho em 6.542 propriedades, onde foram vistoriados 633.980 bovinos. Segundo o diretor-presidente da Iagro, Luciano Chichetta, o trabalho conjunto da Agência e dos produtores, principalmente na zona de Fronteira, é que tem trazido os bons resultados dos últimos anos.

“O que também se refletiu no último estudo do monitoramento sorológico para avaliação da eficiência da vacinação contra febre aftosa realizada em 2014, na zona livre de febre aftosa com vacinação, no qual o Estado foi classificado na subpopulação com excelente nível de imunidade, com valor igual ou superior a 90%, tanto na região de fronteira e não fronteira”, explicou.

Ainda de acordo com Chichetta esse resultado foi a grande conquista do Estado, através da Iagro, que na segunda etapa envolverá os animais de até 24 meses na vacinação. “Os produtores da fronteira que anteriormente vacinavam todo o rebanho duas vezes por ano, com exceção das propriedades do Pantanal optante por novembro, deverão imunizar todo o seu rebanho de mamando a caducando”, ressaltou.

Área livre de aftosa

Na última reunião do Conselho de Desenvolvimento e Integração Sul (Codesul), realizada em abril deste ano, foi proposto pelo grupo de sanidade o encaminhamento de Mato Grosso do Sul para o status de área livre de febre aftosa sem vacinação.

Comentários

comentários