Lamentável rejeição de taxação menor sobre combustível para aviões, diz senador

Projeto de Pedro Chaves será reapresentado. (Foto: Assessoria de imprensa)

No caso de Mato Grosso do Sul, a alíquota que é de 17% e seria reduzida para 12%, porcentagem que seria aplicada a todo o País. “Esse projeto seria extremamente importante e traria um avanço para todo o Brasil. Infelizmente o Plenário do Senado rejeitou a proposta”, afirma Pedro Chaves.

O senador cita que o custo do combustível corresponde a 40 % do custo da aviação e a limitação de um teto para a alíquota seria positiva em vários aspectos. “Além da redução das passagens aéreas, também seria reduzido o preço do táxi aéreo e, ainda, aumentaria a oferta de mais de 200 voos no País”. Além disso, defende, o preço da aviação agrícola cairia, influenciando também o agronegócio, um dos setores mais fortes da economia estadual.

Uma nova tentativa será feita ano que vem, com uma nova apresentação do projeto. “Vou reapresentar o projeto em 2018 e estou confiante que ele será aprovado. Não podemos deixar que medidas tão importantes como essa sejam reprovadas ou simplesmente deixadas de lado”, finalizou.

Comentários

comentários