Microsoft terá seis versões do Windows 10 para consumidores e empresas

Windows 10
(Foto: Divulgação)

A Microsoft mostrou esta semana mais detalhes sobre o novo sistema operacional Windows 10 e seus diferentes modelos e versões. Assim como os Windows anteriores (7 e 8) o Windows 10 será vendido consumidores em duas versões: Windows 10 Pro e Windows 10 Home.

Para o mercado corporativo, no entanto, serão três diferentes versões: Windows 10 Enterprise, Windows 10 Mobile Enterprise e Windows 10 Education. O Windows Phone, como indicado anteriormente, muda de nome e passa a se chamar Windows 10 Mobile. Ele será distribuído em smartphones e pequenos tablets.

Windows-10-smarthone-Home
Agora o Windows phone será chamado Windows 10 Mobile. (Foto: Divulgação)

A empresa também confirmou que vai liberar o upgrade gratuito para os consumidores. “Conforme anunciado no início do ano, pela primeira vez vamos oferecer versões completas do Windows 10 Home, Windows 10 Mobile e Windows 10 Pro como upgrade gratuito para dispositivos com Windows 7, Windows 8.1 e Windows Phone 8.1 que se qualificarem para fazer o upgrade “, escreveu o vice-presidente corporativo de Windows e search da Microsoft, Tony Prophet, no blog da companhia.

 

Diferenças de versões

No Windows 10 Home, os pontos principais destacados pela Microsoft incluem o assistente pessoal Cortana, o novo browser Microsoft Edge (antigo “Project Spartan”), o modo Continuum para uso com tablets ou outros dispositivos que têm telas sensíveis ao toque (como o Surface); o sistema de reconhecimento de face Windows Hello (que nesse caso precisa de uma câmera de profundidade embutida no PC), e aplicativos universais como Maps e Calendar.

Por que um consumidor mudaria para o Windows 10 Pro é que não fica muito claro. A versão Pro é descrita como o sistema operacional de preferência para empresas que querem permitir que seus funcionários tragam seus dispositivos para o trabalho ou para consumidores que trabalham com seus equipamentos pessoais.

“O Windows 10 Pro ajuda a gerenciar de forma efetiva e eficiente seus dispositivos e aplicativos; proteger dados de negócio sensíveis, dar suporte para situações de trabalho remoto e móvel e tirar vantagem das tecnologias de nuvem”, escreve Prophet. O Windows 10 Pro vai incluir o Windows Update for Business, permitindo às empresas “ir devagar” com seus novos updates.

Com o Windows 10 Mobile, a Microsoft confirmou que o sistema operacional que era apenas centrado em smartphones passa agora a ser usado também em pequenos tablets. O termo pequeno, dá para inferir, deve referir-se a tablets com telas de até 8 polegadas, embora isso não tenha sido detalhado.

Para as versões corporativas, projetadas para grandes empresas, o Windows 10 Enterprise “oferece recursos avançados de proteção contra a crescente lista de ameaças modernas à segurança que atacam dispositivos, identidades, aplicações e informações corporativas sensíveis”, escreveu a Microsoft.

Detalhes de upgrade

Segundo o blog de Prophet, usuários do Windows 8 vão precisar primeiro migrar para o Windows 8.1 para depois migrar para o Windows 10. Para os consumidores é um problema pequeno. Para as empresas nem tanto, porque exige um acompanhamento duplo de migração que pode afetar aplicativos internos.

A Microsoft não explicou se o Windows 7 fará o upgrade direto para o Windows 10 e uma porta-voz da companhia não quis comentar sobre o blog de Prophet.

Foto: Divulgação

A Microsoft já tinha comunicado previamente que os usuários participantes do programa de testes beta, conhecidos como Insiders, teriam acesso a versões gratuitas do produto no formato chamado de “RTM”, que é a mesma versão que será distribuída para lojas e para fabricantes de equipamentos. Os usuários do Windows 7, Windows 8.1 e Windows Phone 8.1 terão upgrade gratuito desde que o façam num período máximo de um ano a partir do lançamento oficial do Windows 10,

A questão é que a empresa não comunicou, em momento algum, qual será o preço do novo sistema operacional nos casos que não se encaixam nas situações descritas até agora. Não está dito se o produto será vendido num modelo de assinatura ou num modelo de licença e, em ambos os casos, qual seria o preço.

A Microsoft tem sido mais transparente que nunca sobre os upgrades e sobre os processos em torno do Windows 10. Porque o upgrade vai ser gratuito, questões de preço ainda não são críticas. Mas eventualmente a Microsoft vai ter de responder a pergunta que está na cabeça de todos: como ela vai ganhar dinheiro com o Windows 10.

Fonte: IDG News Service

Comentários

comentários