02-09 – PARA QUAL TIME TORCE DEUS ?

Pedro1Pedro Mattar

Por acreditar em coisas que existem, me coloco em confronto com uma porção de outras coisas com as quais não creio, mas que chegam até mim por meio dos que creêm. No papel de observador precavido, assisto o que se passa à minha frente, sem que as procure, registro o que me convence e arquivo o tudo em uma prateleira dentro da cabeça.

Entre nós humanos existem diferenças de crenças, de atitudes, de sentimento e ângulos de visão, entre outras. No jogo de futebol que assisti domingo, antes do inicio, a câmera focalizou em close o jogador de um dos times. Mostrou ele elevando as duas mãos, estilo parabólica manual, o que me pareceu um gesto de súplica feito a alguém mais acima. A cena indicava que o atleta pedia uma forcinha extra para o seu time. A leitura só podia ser essa, ele erguia a cabeça na direção do céu.

Aquela cena de jogador suplicante me sugeriu que ele acreditava estar lá em cima a solução para o resultado do jogo. Sua atitude indicava ocorrer um contato privilegiado dirigido a entidade com poderes de favorecer o time dele e mandar às favas, o time adversário. Com o pedido, prudentemente ele também transferia o resultado do jogo a essa entidade superior, que deveria torcer para o time dele. Porque não faz sentido, para mim, que essa entidade maravilhosa atendesse o seu pedido e ignorasse o que isso representava, em prejuizo ao time adversário.

Meus questionamentos parecem colocar em dúvida a fé e a opção religiosa. Mas nu fundo quero entender como funciona essa lógica e minha curiosidade se limita ao campo de jogo. Quando ganha o time de um atleta que pediu ajuda aos céus, os atletas do time adversário, por consequência, perdem. O time que ganhou recebeu apoio divino e o outro foi ignorado solenemente, é isso? Ou foi penalizado porque não cumpriu direito suas orações e pedidos?

A preocupação em transferir resultados e desfechos à vontade divina, no meu modo de entender, pode ser uma bela desculpa para justificar possíveis e casuais fracassos, seja no futebol ou na vida de forma geral. Porque coloca em segundo plano o talento e a competência individual, na mesma proporção em que se espera a intervenção de uma vontade alheia pra direcionar o resultado dentro do campo. Ou na vida cotidiana.

Sempre acreditei no poder do pensamento, tanto o positivo como o negativo. É uma tese fluídica, tem efeito prático e proporcional à carga despejada. Resultados positivos são mais provaveis em pessoas otimistas, cujo poder nasce da confiança que elas sentem nelas mesmas, na própria capacidade de fazer acontecer e no desejo ardente do seu querer.

Otimistas vão à luta sem transferir responsabilidades. São seres que partem para as conquistas alimentando a sí mesmas com a vontade de vencer. São conscientes de que, para abrir qualquer porta, é preciso caminhar até ela, pois ela não abre sozinha. Penso que saindo disso, tudo vira merda. (republicado)

Comentários

comentários