Wagner Moura perde Globo de Ouro para Jon Hamm, de Mad Men

Wagner Moura concorreu ao Globo de Ouro de melhor ator de série dramática por “Narcos”. No entanto, quem levou a estatueta na categoria foi o ator Jon Hamm, pela série “Mad Men”.

Mais cedo, no tapete vermelho, o ator brasileiro tinha falado sobre a sua indicação. “Eu acho que não vou ganhar. Estar aqui já é bom demais. Acho que o Jon Hamm deveria ganhar, é a última temporada de ‘Mad men'”, afirmou o ator.

Em “Narcos”, Wagner Moura interpreta o líder do cartel de Medellín Pablo Escobar, que colocou em xeque a Colômbia, travando sangrentas guerras com seus inimigos de Cali e com o próprio governo para se tornar o dono do mercado de cocaína.

Escobar não hesitou em usar sua fortuna para ajudar os mais pobres – muitos o chamavam de “Robin Hood” – e até o último momento aspirou presidir o país. Como símbolo de seu poder – e em busca de sua própria segurança – chegou a oferecer dinheiro para saldar a dívida externa do Estado.

narcos

De Capitão Nascimento a Hollywood

O baiano Wagner Moura, de 39 anos, iniciou sua carreira na TV com aparições em várias sitcoms da Globo. Mas sua primeira novela foi “A lua me disse”, de 2005, em que fez par romântico com Adriana Esteves. Depois foi protagonista da minissérie “JK” (2006), no papel de Juscelino Kubitschek, e da novela “Paraíso tropical” (2007).

No cinema, ele estrelou produções como “Abril Despedaçado”, de Walter Salles; “As Três Marias”, de Aluizio Abranches; “Deus é Brasileiro”, de Cacá Diegues; “Nina”, de Heitor Dhalia; “O Homem do Ano”, de José Henrique Fonseca; “O Caminho das Nuvens”, de Vicente Amorim; “Carandiru”, de Hector Babenco; e “Cidade baixa”, de Sérgio Machado.

Até que em 2007 Wagner Moura ficou conhecido mundialmente com o longa “Tropa de Elite”, em que interpreta o Capitão Nascimento. No ano seguinte, o filme de José Padilha ganhou o Urso de Ouro, principal prêmio do Festival de Berlim. A sequência, “Tropa de Elite 2: O Inimigo Agora é Outro”, saiu em 2010.

Sua estreia em Hollywood foi no longa-metragem “Elysium”, contracenando com Matt Damon, Jodie Foster e Alice Braga. O ator também está escalado para a refilmagem de “Sete homens e um destino”, dirigido por Antoine Fuqua e estrelado por Denzel Washington, Chris Pratt e Ethan Hawke.

Wagner deve estrear como diretor com um filme sobre Carlos Marighella, um dos principais nomes que lutou contra o regime militar. Ele é casado com Sandra Delgado e tem três filhos.

G1

Comentários

comentários