Vídeo: Moradores denunciam destruição e furto durante invasão de fazenda em Sapucaia

Trabalhadores moradores na Fazenda Madama, na divisa entre os municípios de Amambaí e Coronel Sapucaia, que foi invadida na segunda-feira, dia 22 de junho, por indígenas e por homens armados e com os rostos cobertos por camuflagem para evitarem serem reconhecidos, anunciaram terem sido vítimas de crimes de furto e danos materiais.

Nas fotos imagens de bloqueios de estrada, artefatos usados para impedir a entrada de carros na área invadida e estragos, segundo os moradores, provocados pelos invasores. Autores teriam depredado e furtado pertences das famílias, afirmam moradores. (Fotos: Divulgação)
Nas fotos imagens de bloqueios de estrada, artefatos usados para impedir a entrada de carros na área invadida e estragos, segundo os moradores, provocados pelos invasores. Autores teriam depredado e furtado pertences das famílias, afirmam moradores. (Fotos: Divulgação)

Segundo as vítimas, um total de três famílias, os maridos, as esposas e pelo menos dez crianças, após serem expulsos de casa por volta das 4 horas da madrugada de segunda e serem obrigados a fugir a pé em meio às pastagens por conta das ameaças sofridas, ao retornarem à fazenda nessa terça-feira (23) com o objetivo de retirarem suas mudanças, uma exigência dos invasores, eles encontraram seus pertences danificados.

As vítimas relataram ainda que foram furtados das casas, utensílios domésticos, roupas, colchões e até brinquedo de crianças.

Tensão Extrema na Região

Desde a invasão da propriedade rural, na madrugada de segunda-feira, um clima de insegurança e tensão extrema paira sobre a região Cone Sul de Mato Grosso do Sul.

A situação se agravou mais ainda com a invasão, por parte de indígenas, de mais duas propriedades rurais ocorridas na madrugada dessa quarta-feira, 24 de junho, na região do Tagi, no município de Aral Moreira.

Após uma reunião realizada na manhã dessa quarta-feira na sede do Sindicato Rural de Amambai, um grupo de produtores, sem o aval do Sindicato, se deslocou para a Fazenda Madama, invadida entre Amambai e Coronel Sapucaia e reocupou a sede da propriedade.

Segundo o CIMI (Conselho Indigenista Missionário), órgão ligado a Igreja Católica e apontado pela classe produtora como o incentivador de invasões e do conflito entre índios e não índios pela posse da terra no Cone Sul do Estado, na reocupação da sede da fazenda teve confronto.

De acordo com notícia postada no site do Conselho Indigenista Missionário, por telefone os indígenas teriam relatado à assessoria de imprensa do CIMI que houve índios feridos.

Fontes da classe produtora confirmaram que ocorreram disparos, mas não se sabe quem atirou, se foram produtores, que estavam acompanhados por uma equipe da TV Morena, emissora afiliada à Rede Globo, em Mato Grosso do Sul, ou os próprios indígenas.

Uma equipe do Departamento de Operações de Fronteira (DOF) também estava na região da Fazenda Madama e após o episódio, outros organismos policiais se deslocaram para a região.

Fonte: A Gazeta News

Comentários

comentários