VÍDEO: Delegada considera três hipóteses para causa de acidente que matou jovens na Afonso Pena

A delegada do 1º Distrito de Polícia Civil da Capital, Priscilla Anuda Quarti Vieira, considera três linhas de investigação para o acidente em que dois jovens morreram e outros dois foram internados em estado grave, na madrugada deste sábado. Eles estavam em um veículo Celta de cor branca, placas HSC-5253, de Campo Grande (MS) que colidiu em uma caminhonete Hilux, de Maracaju, no cruzamento das avenidas Afonso Pena e Ernesto Geisel. Na colisão, morreram José Felipe dos Santos Fernandes, de 21 anos, e Rodrigo Leite da Silva, de 13, este último, apresentava ainda um ferimento causado por arma de fogo.

Em decorrência desse ferimento à bala em uma das vítimas, as investigações pretendem demonstrar se o adolescente foi baleado na casa noturna Empório Santo Antônio e estaria sendo socorrido pelos colegas. Contra essa hipótese há depoimentos de testemunhas que negaram que tenha ocorrido alguma briga no estabelecimento.

Outra hipótese é de que o disparo que atingiu o jovem tenha ocorrido no local do acidente, já que, segundo a delegada, “uma das testemunhas relatou ter visto um homem guardando um coldre com uma arma na cintura”, mas também não há depoimentos de disparos no local entre as pessoas que testemunharam o acidente. A terceira hipótese é de que o tiro tenha ocorrido dentro do carro, ou durante o deslocamento.(Em uma suposta perseguição com troca de tiros entre os ocupantes do Celta e um segundo veículo, uma das versões aventadas).

30matadois

A Polícia Civil já solicitou imagens dos circuitos de câmeras de segurança da região do acidente. Durante o resgate, os bombeiros teriam encontrado pequenas quantidades de maconha e cocaína no automóvel e há a suspeita de que a Carteira Nacional de Habilitação (CNH) do condutor, Thieser Luan Quevedo dos Santos, 21 anos, seja falsa.

Silvio Ferreira

Comentários

comentários