Vídeo: Carreata em Campo Grande comemora ação da PF contra Lula

Com trio elétrico e carros de passeio, um grupo passou boa parte da manhã desta sexta-feira (4) percorrendo ruas centrais de Campo Grande comemorar a ação da Polícia Federal, em São Paulo, que levou o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva para prestar depoimento na 24º fase da operação Lava Jato.

Manifestantes saíram em carreata pelas ruas de Campo Grande (
Manifestantes saíram em carreata pelas ruas de Campo Grande (

A concentração teve início às 9h, nos altos da avenida Afonso Pena. Cerca de 50 carros, de acordo com a organização, saíram pelas ruas organizados por um trio elétrico.

O buzinaço se estendeu até o cruzamento com a rua 14 de Julho. Em seguida, eles passaram pelas ruas Antônio Maria Coelho, 13 de Maio e retornaram para o ponto de concentração.

Com bandeiras do Brasil e falas de ordem contra o PT e o ex-presidente Lula, os manifestantes pediam apoio das pessoas e comerciantes da região central da Capital. A maioria acenava com sinal de positivo. Durante o percurso que a reportagem acompanhou o movimento, apenas um casal de idoso demonstrou reprovação ao manifesto, gesticulando com as mães negativamente e vaiando a passagem dos veículos.

A passeata, que tumultuou o tráfego nas ruas do centro, não foi acompanhada pela Polícia Militar ou pelos agentes da Agetran (Agência de Trânsito de Campo Grande). Dentre as pessoas que aprovaram o movimento, a comerciante Cecília Córdoba, 45 anos, que considerou muito válida a iniciativa. “Há provas documentais que houve corrupção. Por muito menos que isso o Collor (ex-presidente Fernando Collor de Mello) caiu e por isso aprovo o manifesto”, destacou.

Ação

De acordo com o MPF (Ministério Público Federal), a 24ª fase da operação Lava Jato cumpre ‘mandados de busca e apreensão e de condução coercitiva para aprofundar a investigação de possíveis crimes de corrupção e lavagem de dinheiro oriundo de desvios da Petrobras, praticados por meio de pagamentos dissimulados feitos por José Carlos Bumlai e pelas construtoras OAS e Odebrecht ao ex-presidente da República Luís Inácio Lula da Silva e pessoas associadas’.

De acordo com os procuradores, ‘há evidências de que o ex-presidente Lula recebeu valores oriundos do esquema Petrobras por meio da destinação e reforma de um apartamento triplex e de um sítio em Atibaia, da entrega de móveis de luxo nos dois imóveis e da armazenagem de bens por transportadora. Também são apurados pagamentos ao ex-presidente, feitos por empresas investigadas na Lava Jato, a título de supostas doações e palestras’.

Comentários

comentários