Vereadores votam hoje outro veto do Executivo a salario da área da Saúde

Camara22Os vereadores da Câmara de Campo Grande votam mais um veto do Poder Executivo na sessão ordinária desta terça-feira (21). Os parlamentares anteriormente aprovaram o PL (Projeto de Lei) de reajustes e modificações em adicionais a profissionais de nível superior da área da Saúde. Agora, analisam se mantem ou derrubam o veto do prefeito Alcides Bernal, que reprovou o projeto em separado que faz o reajuste a categoria.

Em única discussão e votação os parlamentares votam em Plenário o Veto Total do Poder Executivo ao Projeto de Lei n° 8.231/16, que dispõe sobre a criação da tabela salarial dos médicos, odontólogos e veterinários no quadro de remuneração dos servidores do município. Ao todo são 330 servidores municipais nesta área.

A questão vem se enrolando desde abril também quando houve o inicio dos imbróglios do aumento a todos os servidores municipais, onde somente os professores, que tem negociação e PL em separado, fizeram acordo e receberam o reajuste de 3,51% no salário referente ao Piso Nacional da categoria. Os demais funcionários, via Sisem (Sindicato dos servidores municipal) rejeitaram, voltaram atrás e posteriormente tiveram vetado pelo prefeito a proposta. Na semana passada, a Câmara também analisou o veto ao aumento da classe, em 9,57%, que foi derrubado. Agora, o reajuste foi parar no Poder Judiciário para ser decidido.

No caso das três categorias, o reajuste também foi feito em separado devido a negociações diferenciadas e por um segundo pedido de inclusão de Nova referência aos três profissionais.

Nova referência

No caso dos dentistas (odontólogos) e veterinários, em 12 de maio, como o Página Brazil publicou, foram a Câmara para ver a questão em derrubar ou ter o mesmo direito do que seria votado na criação de nova referencia aos médicos. Os profissionais da medicina passarão da referencia 15 para 17, que fornece um reajuste ‘natural’ nos salários, pois é uma ascensão que aumenta os ganhos mensais.

Os odontólogos reclamam e reivindicam que o caso deve ser aplicado a todos, pois eles e mais os médicos veterinários, hoje, são da mesma categoria 15, que estão os médicos. “Não queríamos chegar a este ponto de ir contra uma melhora aos colegas médicos, que tanto precisam ser valorizados. Mas, ou se derruba este atual projeto, pois fornece para um e outro não, uma mudança na mesma categoria que todos estão. Ou no mínimo o PL seja sensato e incluía os odontólogos e veterinários na mesma ascensão que seria linear aos três que estão na mesma referência, no mesmo trabalho árduo até local igual e que apesar de cada profissão, mas no atendimento da Saúde, já recebem de forma diferente”, explicou a presidente do Sindicato dos Odontologos Marta Regina.

Com isso, eles pediram e os vereadores atenderam, pela reformulação da matéria com a equiparação aos médicos, que ingressaram com projeto salarial para enquadramento da categoria em nível 17. Os parlamentares concordaram e dezenas discursaram concordando com a alegação, que os profissionais de odontologia assumem as mesmas responsabilidades civis e que as profissões são legalmente vinculadas.

Serviço – A sessão ordinária desta terça-feira (21) será realizada no Plenário Oliva Enciso, na sede da Casa de Leis, localizada na Avenida Ricardo Brandão, n° 1.600, Bairro Jatiuka Park.

Comentários

comentários