Vereadora denuncia falta de merenda em Ceinf, mas é contestada por diretora

Vereadora abre uma geladeira e não encontra alimentação. (Fotos: Lúcio Borges)
Vereadora abre uma geladeira e não encontra alimentação. (Fotos: Lúcio Borges)

A sequência do Projeto Câmara Comunitária, da nova direção do Legislativo de Campo Grande, lançado na manhã desta quarta-feira (16) na escola Sebastião Lima do bairro Serradinho, além de não ter sido recebido com muito credito por parte dos moradores, ainda teve dois lances “incômodos” para ou protagonizado pelos vereadores. O fato ocorreu no Ceinf (Centro de Educação Infantil) do bairro. Na chegada ao Centro, os parlamentares foram barrados no portão, que apesar de prerrogativa de agente fiscalizador, tiveram que esperar como qualquer cidadão, para adentrar ao recinto, pois é necessário autorização para recebimento de pessoas no local. Outro fato, foi uma fala considerada ‘errada’ da vereadora Carla Stefanini (PMDB), quanto a falta de merenda no Ceinf.

A diretora do Centro, Cilce Silveira Moraes, que após ir liberar a entrada e receber a comitiva, também acompanhava e apresentava ao grupo cada instalação do Ceinf, mas foi surpreendida com a entrada extemporânea da vereadora na cozinha. Carla começou a discursar para os presentes e para imprensa, apontando falta de alimentos na dispensa e que o que tinha não seria suficiente nem para hoje. “Sou dona de casa e o que tem aqui não dá para um grupo e muito menos para 138 crianças. Quero deixar claro que os servidores não são os culpados, eles estão aqui fazendo seu trabalho e além dele, trazendo até material e alimentos para não deixar as crianças na mão. Esta é a situação desta administração, que é recorrente”, falava a vereadora.

Contudo, a diretora que não interrompeu a vereadora, contestou em ‘particular’ a ‘denuncia’ e se disse triste pelo episódio, que poderia ter sido perguntado anteriormente. “Não temos nada a esconder, estou aqui há 19 anos, e recebemos todos de braços abertos, pois tudo isso é nosso, é publico e todos podem entrar e ver, conversar sobre tudo comigo. Eu fiquei triste, pois conheço e gosto da vereadora, mas ela se desgarrou do grupo e entrou lá, não nos perguntou como funciona e partiu para o ataque, se exaltou. Se eu tivesse explicado, não passaria a imagem que não tem ou tem pouco alimento. Há um cardápio semanal, diário e a alimentação é trazida conforme a demanda. E nós preparamos de acordo com o número do dia. Não fazemos todo dia merenda para as 138 crianças”, explicou Cilce.

A responsável do Ceinf ainda apontou que ao menos pelo Centro dela, ela planeja e sabe juntamente com os demais servidores e até divide com lideranças comunitárias tudo que se passa no local. “A visita é bem vinda sempre, dos vereadores, de outras autoridades e moradores em geral. Cabe a cada coração saber e repassar a sua intenção a que vem fazer no Centro. É bom todos verem e em especial, na companhia de vereadores, que vem com imprensa, ver e mostrar nosso bom trabalho. Eu, respondo por mim, mas eu represento a prefeitura, seja quem for o prefeito. Trabalhamos em conjunto e até dividimos os bons e maus momentos com lideranças da comunidade e com quem quem se interessar”, comentou a diretora Cilce.

Matéria: Lúcio Borges

Comentários

comentários