Vereador petista tem carro apedrejado em novo loteamento

Casas entregue no loteamento
Casas entregue no loteamento

O fervor político de Campo Grande está a cada dia pior, chegando a agora ter “violência” não só verbal, mas de “vias de fato”, como a que ocorreu conforme denuncia do agredido vereador Marcos Alex (PT), que teve seu veículo apedrejado na manhã desta terça-feira (05). Ele chegou a sessão ordinária de hoje da Câmara Municipal, já na metade do expediente, relatando sobre o ocorrido em visita hoje ao loteamento Vespasiano Martins, onde foi realocada parte das famílias despejadas da favela Cidade de Deus. Alex subiu a tribuna para falar oficialmente do caso, dizendo acreditar que do novo loteamento saiu com o carro danificado por diversas pedras arremessadas por pessoas colocadas no local para intimidar e não deixar parlamentares entrar na comunidade para realizar o trabalho de fiscalização. O vereador Eduardo Romero, pouco antes, havia feito grave denuncia sobre o estado das casas construídas e entregue a ‘toque de caixa’.

“A tempos vem usando da política de colocar a culpa dos problemas da cidade em cima dos vereadores, em especial nessa área da favela, que fomos contra a situação que criaram em desfazer uma favela, criar outras e sem a construção de casas antes disso, que só começaram a sair agora, após cinco, seis meses. Já trouxeram manifestante para Câmara para dizer que nós não aprovamos recursos. E hoje, isso me parece, foi coisa plantada contra vereadores e o trabalho oficial do Legislativo de fiscalizar o que o Executivo faz ou faz mal feito ou mesmo deixa de fazer. Como se a Câmara tivesse dificultado ou impedido a construção de casas, o que foi ao contrario. E vamos lá ver ainda como está a situação, que melhorou para uns e a maioria não, e alvejam nosso carro, praticamente só ele”, disse Alex.

AlexPTO petista que é pretenso candidato a prefeito, durante discurso não detalhou qual providência deve tomar, comentando que pretende conversar com outros membros do partido para definir um posicionamento, mas que a ação não o intimida e não vai deixar de exercer papel de fiscalizar. O carro, segundo ele, teve o para-brisa dianteiro todo quebrado. “A ideia da visita foi checar as condições em que as casas foram entregues, pois havia denuncias das coisas mal feitas e como serão os prazos de financiamento para os moradores. Fui e continuarei exercendo meu papel de legislador fiscalizador, não pararei por ações como está que vemos que é do lado feita, deixada planejada”, disse.

O presidente da Câmara Municipal, vereador João Rocha (PSDB), manifestou apoio e disse que foi um crime contra o mandato, pois “o parlamentar estava no exercício de sua função”.

Denuncia já sendo feita

Antes de Alex chegar, durante a sessão, o vereador Eduardo Romero (Rede) já estava mostrando em um telão e denunciando que irá encaminhar ao MPE (Ministério Público Estadual) sobre a situação da maioria das casas que foram entregues propagandeada como em tempo recorde, mas com instalação hidráulica aparente, sem reboco e quase só com ‘esqueleto erguido’. Ele lembrou que este não foi o combinado: “Não foi entregue nem em tempo recorde, nem finalizada. Fizeram muita propaganda dizendo do grande feito. Mas o que foi feito? Quase nada, pois foi somente para 42 famílias das mais de 200 e com casas que não oferecem segurança e qualidade. Sem nada feito por dentro, fazendo com que moradores prefiram ainda continuar nos barracos até se comprovar e dar garantia de uso”, declarou.

eduardo romeRomero ainda mencionou o fato da ilusão das entregas e sobre o privilegio de alguns. “As entregas simbólicas como aconteceu com postos de saúde também, não resolve nada, a não ser para cumprir o calendário eleitoral e aparecer. Não é responsável. Além de mentir também mostrando tudo pronto. Mas, pronto para alguns que lá temos dois grupos. Um de amigos do rei que ganharam tudo e tiveram tudo pronto. E de outro, quem não é a favor ou fala bem, ficou sem, teve somente ‘o por fora bela viola e por dentro pão bolorento’ “, denunciou o vereador, contando com apoio de diversos outros colegas.

“Mais uma vez é a prefeitura do faz de conta. Mais uma enganação e mais crimes de responsabilidade com recursos investidos e à ser pago pelo cidadão, por algo que não lhe foi fornecido de acordo com contrato”, disse Paulo Siufi (PMDB), seguido por Otávio Trad (PTB) que mencionou: “ações amadoras, de falsidade e que no minimo mostra o despreparo desta administração, que não tinha condição de ser eleita. Mas como foi não fez depois nada para aprender e mudar e faz de qualquer jeito”, disse.

Famílias Realocadas

As 42 casas foram entregues na última sexta-feira, 1º de julho, a parte das famílias realocadas. A remoção das famílias do Cidade de Deus ocorreu em março. Além das famílias realocadas no Vespasiano Martins, outras 87 que estão no bairro José Teruel e as 50 do Jardim Canguru receberão as chaves de suas casas somente dia 10 de setembro, se o cronograma da Prefeitura se concretizar. Já as 135 famílias que estão no Bom Retiro no dia 10 de outubro.

No dia 16 de junho, as famílias protestarem contra a Prefeitura diante das condições precárias em que aguardavam, sem estrutura básica, como banheiros para atender a todos.

Na ocasião, a secretária-adjunta de Planejamento e Controle, Maria do Amparo, acusou vereadores de inflamarem as famílias. “Os vereadores vieram inflamar as pessoas, mas foi a Câmara que retardou a votação da suplementação orçamentária para construção das casas, que já deveriam estar prontas”.

Comentários

comentários