Vereador nega ter conversado com deputado sobre votação que cassou Bernal

Negando qualquer envolvimento com a gravação da ligação entre o deputado Cabo Almi e o empresário Fábio Portela para a sua cooperação na votação que levou a cassação de Alcides Bernal em março de 2014, o vereador Aírton Araujo deixou a sede do Gaeco (Grupo de Atuação Especial de Repressão ao Crime Organizado) por volta das 15h30 desta quarta-feira (2).

O depoimento de Aírton Araújo durou cerca de 40 minutos. Foto Paulo Francis
O depoimento de Aírton Araújo durou cerca de 40 minutos. Foto Paulo Francis

“Estou tranquilo, só vim dar explicações sobre um grampo”, garantiu. O depoimento durou cerca de 40 minutos.

O vereador afirmou que foi questionado pelo promotor se tinha conversado com Almi sobre a ligação telefônica, e ele disse que não, e que desconhece a situação. Afirmou ainda que não conhece o empresário e que ele não teria o seu telefone.

Segundo o coordenador do Gaeco, Marcos Alex Vera de Oliveira, Araújo e Almi são testemunhas, e não investigados.

Comentários

comentários