Venezuela dá trabalho só no 1º tempo; no 2º, Equador passeia e vence mais uma

O alerta do clihê grita alto quando uma partida tem dois tempos distintos, mas fica até difícil fugir dele quando se vê o que fizeram Equador e Venezuela nesta terça-feira, no Estádio Olímpico Ahahualpa. Penúltimos colocados, os venezuelanos deram trabalho, mas só nos primeiros 45 minutos. Porque, na etapa final, o time de Felipao Caicedo e companhia construiu uma vitória por 3 a 0 com facilidade impressionante. O gol de Miller Bolaños, o terceiro do jogo, fala por si só. Arturo Mina e Valencia também marcaram na partida válida pela 12ª rodadad das eliminatórias da América do Sul para a Copa do Mundo.

ESPN
ESPN

DE PELADA

Observe esse lance! Foi ou não foi um contra-ataque de pelada? O Equador puxou um contragolpe de três jogadores contra apenas um defensor e não teve nenhum trabalho para fazer o gol, anotado por Valencia.

O JOGO

O primeiro tempo mostrou duas seleções limitadas dentro de campo. O Equador apostava todas as suas fichas nas escapadas velozes de Ibarra, e a Venezuela fazia o mesmo com o jovem Peñaranda. O time equatoriano foi, no entanto, quem chegou com perigo mais vezes. Nada que alterasse o placar.

No segundo tempo, o gol de Arturo Mina, que completou de cabeça um cruzamento de Bolaños, mudou o panorama da partida. A Venezuela se atordoou imediatamente e começou a deixar buracos na defesa. Em um deles, o próprio Bolaños aumentou a vantagem. Valencia, já aos 40 minutos, fechou a vitória num contragolpe fatal.

PANORAMA

A sexta vitória nessas eliminatórias leva o Equador aos 20 pontos e o coloca temporariamente na terceira colocação da tabela. Só que Colômbia e Chile ainda entram em campo na rodada e podem ultrapassá-lo. Já a Venezuela, que conheceu sua nona derrota, voltou para a lanterna, com apenas cinco pontos.

SÓ EM 2017…

As duas seleções voltam a campo pelas eliminatórias só no ano que vem. A primeira data Fifa de 2017 será no dia 23 de março. O Equador vai até o Paraguai para enfrentar os donos da casa, enquanto a Venezuela recebe o Peru.

 

Comentários

comentários