Vazamento sob Arena Corinthians pode provocar deslizamento

Clube descobriu vazamento de mais de 10 milhões de litros d’água sob o estádio, algo com potencial para soterrar avenida que passa ao lado

Um vazamento de mais de dez milhões de litros d’água sob a Arena Corinthians foi descoberto em junho deste ano e causa risco de deslizamento de terra na área externa do estádio, o que tem potencial para atingir a Radial Leste, principal avenida desta região de São Paulo e que passa ao lado da Arena. A denúncia foi publicada nesta terça-feira pelo jornal “Folha de São Paulo” e apresenta dados e afirmações alarmantes sobre o tema.

Estádio foi inaugurado para a Copa do Mundo de 2014 (Foto: Divulgação )
Estádio foi inaugurado para a Copa do Mundo de 2014 (Foto: Divulgação )

“O estacionamento do estádio corre o risco de parar na Radial Leste. Vai ser uma nova Mariana”, disse um dos responsáveis pelo estádio, de acordo com a reportagem, em referência à tragédia de novembro do ano passado, quando o rompimento de duas barragens causou destruição em oito distritos da cidade de Mariana, em Minas Gerais, e matou dez pessoas.

No caso da Arena Corinthians, há um vazamento de água no estacionamento do estádio, pois o curso d’água passa por baixo do prédio. Já houve um deslizamento por causa de chuvas em fevereiro do ano passado, mas a água chegou somente à calçada da Radial. Agora, segundo a denúncia, o risco aumentou, o que faria a água invadir a pista e colher quem passa por ela.

O Corinthians acredita que o deslizamento de 2015 tem relação com o vazamento no estacionamento e realiza uma auditoria interna para investigar o problema – a Sabesp (Companhia de Saneamento Básico do Estado de São Paulo) alertou para o consumo excessivo de água no estádio, de acordo com a “Folha”.

Além da denúncia do possível vazamento, a matéria ainda apresenta outras possibilidades de risco na Arena Corinthians: placas de granito têm caído das paredes, lâminas de três milímetros de espessura de três metros por um de comprimento já voaram da fachada, a cobertura do estádio está acumulando água por falta de limpeza das canaletas de escoamento, há buracos no piso ao redor do estádio e rachaduras em paredes. Em fevereiro de 2016, vale lembrar, um pedaço do teto da entrada principal da Arena foi ao chão, mas ninguém estava no local no momento do acidente.

Segundo a reportagem, os dirigentes do Corinthians têm conhecimento dos problemas e estão realizando uma auditoria interna com previsão de conclusão para o mês de novembro. O argumento dos gestores do estádio, porém, é que o clube ainda não deu aceite da obra da Odebrecht, entregue incompleta em maio de 2014. A construtora não se pronunciou. (Lance)

Comentários

comentários