Vai seleção! Bolívia assiste de ‘camarote’ show de Neymar, gol de ‘Safadão’ e ovação a Tite

Melhor o trabalho de conter a euforia por bons resultados e futebol do que amargar os vexames dos últimos tempos. É assim a seleção brasileira de Tite, que nesta quinta-feira, em Natal, goleou a frágil Bolívia por 5 a 0.

Jogadores do Brasil comemoram em Natal (Reprodução - ESPN)
Jogadores do Brasil comemoram em Natal (Reprodução – ESPN)

Foi o terceiro triunfo seguido do time com o ex-treinador corintiano, que viu uma atuação de gala de Neymar, mas que terá também muito trabalho para controlar os nervos de seu craque, que levou outro amarelo (poderia até ser expulso) e vai desfalcar a equipe de novo.

Com o triunfo na capital potiguar, o Brasil manteve a vice-liderança das eliminatórias, com 18 pontos, já que o Uruguai, em casa, bateu a Venezuela e manteve a primeira colocação (tem 19).

A melhor chance do time de Tite de alcançar o topo da tabela é na próxima rodada, quando visita a Venezuela e o Uruguai tem parada dura, como visitante, contra a Colômbia. Os quatro primeiros da América do Sul garantem vaga no Mundial da Rússia. O quinto ainda tem a chance de obter a classificação em uma repescagem.

ENTÃO EM NATAL

4 a 0 em 45 minutos. Só resta tentar explicar o porquê. O Brasil se encontrou em campo, mesmo com as mudanças. Aliás, os quatro que entraram: Filipe Luís e Coutinho fizeram gols, Giuliano deu assistência e Fernandinho teve posicionamento exemplar atrás. Neymar, mesmo um grau acima no individualismo, resolveu. Abriu espaços, roubou a bola e tabelou com Gabriel Jesus para abrir o placar, deixou Filipe e o próprio Jesus livres para marcarem. Sempre em jogadas pelo lado, com ultrapassagens e triangulações. A Bolívia, perdidinha, parecia sentir a altitude de Natal depois de treinar nos 3.800 metros de La Paz. Vai ver sobrou oxigênio…

SEGUNDO TEMPO

A Bolívia voltou totalmente entregue para o segundo tempo, imóvel diante das tabelas brasileiras. Em uma delas, linda, Neymar e Giuliano quase ampliaram. Por cansaço de Jesus e cotovelada em Neymar, Tite mexeu. Entraram Firmino Safadão e Willian, e a equipe ficou mais objetiva, com mais tesão por mais gols. Firmino marcou de cabeça e o Brasil controlou a vantagem até o fim.

TABELA E CLASSIFICAÇÃO

O Brasil manteve a segunda colocação nas eliminatórias para a Copa do Mundo de 2018, um ponto atrás do Uruguai: 19 a 18. Na próxima terça-feira, em rodada que abre o segundo turno, as duas seleções jogam fora de casa. O Brasil contra a Venezuela e o Uruguai diante da Colômbia. Oportunidade para chegar ao primeiro lugar. A Bolívia, por sua vez, segue com sete pontos e caiu para o penúltimo lugar com o empate entre Peru e Argentina. Na terça receberá o Equador, em La Paz.

300

Há uma conta que diz: desde o primeiro gol de Neymar no time principal do Santos, em 2009, contra a Bolívia ele chegou a 300. Esses dados incluem seleções olímpicas, sub-17, mas descartam torneios anteriores a esse período. Um “marco-zero” criado pelo seu estafe. Na seleção brasileira, e isso é irrefutável, o craque chegou a 49 gols. Não contam para esses dados aqueles marcados por equipes com restrições de idade, mesmo a olímpica.

UM SUSPENSO

O Brasil tinha seis pendurados. Só Neymar (que deixou o gramado sangrando no segundo tempo, após receber uma cotovelada) recebeu o segundo cartão amarelo e ficará fora do jogo contra a Venezuela. Daniel Alves, Miranda, Filipe Luís, Giuliano e Lucas Lima estão liberados para a partida da próxima terça-feira, mas, se forem advertidos em Mérida, terão de cumprir suspensão diante da Argentina, dia 10 de novembro, no Mineirão.

 

FICHA TÉCNICA:
BRASIL 5 x 0 BOLÍVIA

Local: Arena das Dunas, em Natal (RN)
Data: 06 de outubro de 2016, quinta-feira
Horário: 21h45 (de Brasília)
Árbitro: Wilson Lamouroux (COL)
Assistentes: Wilson Lamouroux (COL)
Cartões amarelos: Neymar (Brasil); Meleán, Azogue  (Bolívia)
Renda: R$ 4.307.145
Público: 30.013
Gols: Neymar, aos 10min, Philippe Coutinho, aos 25min, Filipe Luís, aos 39min, Gabriel Jesus, aos 44min do primeiro tempo; Firmino, aos 29min do segundo tempo

BRASIL: Alisson; Daniel Alves, Miranda, Marquinhos e Filipe Luís; Fernandinho, Renato Augusto, Giuliano (Lucas Lima), Philippe Coutinho e Neymar (Willian); Gabriel Jesus (Firmino). Técnico: Tite

BOLÍVIA: Lampe, Rodríguez, Raldes, Zenteno e Bejarano; Meleán, Azogue, Arce (Ramallo) e Campos (Vaca); Duk (Escobar) e Marcelo Moreno. Técnico: Ángel Hoyos

 

Comentários

comentários