Tricolor leva um baile do Audax, é goleado e cai nas quartas do Paulista

O São Paulo não soube aproveitar o embalo conquistado pela grande vitória sobre o River Plate no meio de semana, foi irreconhecível na noite deste domingo e levou uma justa goleada por 4 a 1 do Osasco Audax, em partida disputada no estádio José Liberatti. Com gols de Ytalo, duas vezes, Mike e Juninho, os donos da casa supriram facilmente o tento de Calleri e confirmaram pela primeira vez na história uma vaga na semifinal do Campeonato Paulista.

Foto Lancepress!
Foto Lancepress!

Até antes do embate, os times grandes haviam passado com facilidade sobre seus rivais nas quartas. Depois da partida na Grande São Paulo, a estatística tem que ser contada de uma forma diferente: todos os primeiros colocados em seus grupos dominaram aqueles que se classificaram em segundo. O domínio, além dos gols, teve direito a dribles desconcertantes, bolas na trave e muitos gritos de “olé” dos torcedores.

Com o resultado, o Audax agora espera o resultado de Palmeiras e São Bernardo, que entram em campo nesta segunda-feira, às 21h, no Pacaembu. Caso o Palmeiras se classifique ganhando, os osasquenses encaram o Santos, na Vila Belmiro, na semi. Em caso de empate no tempo normal ou triunfo do Bernô, a equipe de Fernando Diniz enfrenta o Corinthians, em Itaquera.

Os comandados de Bauza agora voltam as suas atenções para a Copa Libertadores da América. Na quinta-feira, a equipe decide sua vida no Grupo 1 e na competição contra o Strongest, às 21h45 (de Brasília), na cidade de La Paz, na Bolívia. Para passar de fase, a equipe precisa segurar ao menos um empate diante do concorrente direto e da altitude de 3.600m da capital boliviana.

Falhas e golaço na etapa inicial

Com nove minutos de bola rolando, Rodrigo Caio perdeu a bola na hora de sair jogando e Ytalo partiu em velocidade. Cara a cara com Denis, pelo lado direito da área, ele chutou forte e o goleiro espalmou. Na sobra, o próprio Ytalo rolou para Juninho, mas o meia encheu o pé em cima do arqueiro são-paulino, que protagonizou mais um milagre.

Acordado pelo susto e com espaço, o Tricolor conseguiu duas boas oportunidades na sequência. Na primeira, Ganso aproveitou falha da defesa e poderia partir em velocidade, mas preferiu tentar um toque por cobertura da intermediária. A batida foi boa e Sidão teve de se esticar todo para mandar a escanteio. Depois, Rodrigo Caio subiu mais alto que a defesa em cruzamento de Bruno, só que cabeceou à direita do gol.

Ytalo carregou a bola após erro de Lugano na defesa e tentou um chute de fora da área. A bola desviou em Rodrigo Caio e enganou Denis, que não conseguiu chegar a tempo no seu canto esquerdo. A empolgação, porém, não durou muito tempo. No segundo erro crasso na saída de bola, Bruno Silva tentou driblar Michel Bastos, mas foi desarmado pelo meia. A bola ficou para Calleri, que carregou até a pequena área, viu o goleiro embaixo da trave, e só tocou por baixo das pernas de Sidão.

Quando parecia que o Tricolor ia retomar o controle do jogo, o Audax mostrou uma carta que ainda não havia aparecido. Sidão praticou linda defesa em finalização de Calleri, dentro da área, e deu a segurança necessária para os osasquenses retrucarem. Após troca de passes no meio-campo, Tchê Tchê perceu Lugano e Rodrigo Caio em linha, bastante adiantados. Ytalo correu no espaço entre os dois defensores e, na entrada da área, conseguiu chutar de primeira, sem deixar a bola cair, marcando um belo gol.

Gol rápido e Tricolor na roda

Na volta para a etapa final, outra arma dos donos da casa apareceu: a bola parada. Em nova descida rápida do ataque, com passes curtos, Juninho acabou derrubado por Hudson na entrada da área. Tchê Tchê foi para a cobrança e acertou o pé da trave direita de Denis, que ainda encostou na bola. No rebote, a zaga parou e Mike, sozinho, tocou de canhota para ampliar a vantagem logo aos cinco minutos.

A desvantagem fez com que o Tricolor se desarrumasse ainda mais na defesa, na ânsia pela reação. Mantendo seu toque de bola, o time da casa só correu risco quando a bola caiu nos pés de Sidão. Mesmo arriscando menos na saída de bola, ele quase entregou o segundo do São Paulo ao dar passe para Hudson, mas o volante demorou a tocar para Calleri e perdeu uma chance de ouro.

Do outro lado, o Audax abusava da confiança para seguir com seu estilo e não aceitar a pressão são-paulina. Mike, Juninho e Tchê Tchê coordenaram as triangulações e mantiveram o perigo quase sempre longe do gol osasquense. E foi com a confiança para jogar que o Audax transformou a vitória em justa goleada. Boa jogada de Bruno Paulo pela esquerda, na saída de bola. O meia lançou para Mike, nas costas de Mena, que invadiu a área e cortou o lateral antes de bater. Denis deu rebote e Juninho, livre, colocou para a rede.

Depois do quarto gol, os donos da casa praticamente só deixaram o tempo passar frente a um adversário completamente batido. Enfeitando em alguns lances, quase entregou o segundo em lances de Alan Kardec e Thiago Mendes, mas os são-paulinos nem sequer conseguiram diminuir a desvantagem.

FICHA TÉCNICA: GRÊMIO OSASCO AUDAX 4 X 1 SÃO PAULO

Local: Estádio Prefeito José Liberatti, em Osasco (SP)
Data: 17 de abril de 2016, domingo
Horário: 18h30 (de Brasília)
Árbitro: José Claudio Rocha Filho (SP)
Auxiliares: Daniel Paulo Ziolli e Risser Jarussi Corrêa (ambos de SP)
Público: 7.920 pagantes
Renda: R$ 327.050,00
Cartões amarelos: Thiago Mendes e Alan Kardec (São Paulo)
Gols:

OSASCO AUDAX: Ytalo, aos 27 e 42 minutos do primeiro tempo, Mike, aos cinco, Juninho, aos 25 minutos do segundo tempo
SÃO PAULO: Calleri, aos 36 minutos do primeiro tempo

GRÊMIO OSASCO AUDAX: Sidão; Yuri, Bruno Silva (Bruno Lima), André Castro e Velicka; Tchê Tchê (Felipe Rodrigues), Camacho (Maurício), Juninho e Mike; Ytalo e Bruno Paulo
Técnico: Fernando Diniz

SÃO PAULO: Denis; Bruno, Lugano, Rodrigo Caio e Mena; Hudson (Wesley), Thiago Mendes, Kelvin (Centurión), Ganso e Michel Bastos (Alan Kardec); Calleri
Técnico: Edgardo Bauza

Comentários

comentários