TRE leva uma semana para inserir dados em 6.209 urnas de MS

urna_20161A Justiça Eleitoral de Mato Grosso do Sul iniciou no último sábado e deve encerrar até sexta-feira (23) a inserção de dados dos candidatos a prefeitos e vereadores pelo Estado em 6.209 urnas eletrônicas que estarão disponível para a votação no processo eleitoral de 2 de outubro. No último fim de semana, as informações de seções, candidatos e eleitores foram inseridas em 1.800 urnas que serão utilizadas em Campo Grande. O TRE/MS (Tribunal Regional Eleitoral) detalha que são 5.804 equipamentos para uso direto do dia da eleição nas seções de MS e 1.125 de reserva.

Os dados das urnas, apesar de estarem já sendo colocados, e, ficarem cerca de 10 dias a espera, pode até enfrentar os ‘curiosos’ em tentar ativar, ou mesmo eventualmente, tentativas de fraude. Conforme o TRE-MS, o equipamento pode até ser ligado antes do dia da eleição, mas não vai funcionar. ” A tela avisa que o funcionamento só ocorre a partir das 7h de 2 outubro, dia em que 1.875.869 eleitores vão às urnas em Mato Grosso do Sul”, explica a chefe de cartório da 36ª Zona Eleitoral, Kátia Souza.

Durante a preparação, os equipamentos passam por testes para verificar o funcionamento e as informações são inseridas. Ao término do processo, cada máquina gera um extrato de carga, que traz todos os dados inseridos e o registro individual da urna, uma especie de RG. Elas são lacradas e ficam prontas para ser distribuída aos mesários.

 

Muitos dados para inserir

Para muitos, o tempo parecer ser muito grande para a espera, bem como para levar a ação de inserção dos dados nas urnas. Mas, a que se levar em consideração que são 6,2 mil urnas e neste ano, nesta corrida eleitoral, somente Campo Grande desbancou até as mairoes cidades do país, como São Paulo e Rio de Janeiro no quesito de Capital mais disputada do Brasil.

Com 863.982 moradores, a Capital tem 15 candidatos a prefeito, o que dá média de um “prefeitável” a cada 57 mil habitantes. A título de exemplo, São Paulo, a capital mais populosa do País, precisaria de 209 registrados na disputa a prefeito para atingir esta marca.

Comparado há 20 anos, o total triplicou. Conforme os dados disponíveis no site da Justiça Eleitoral, foram cinco candidatos a prefeito de Campo Grande em 1996. O mesmo número se manteve nas disputas de 2000, 2004 e 2008.

A disputa pelas 29 cadeiras da Câmara Municipal também se acirrou. Na última eleição, realizada em 2012, foram 526 candidatos. Agora, são 673, portanto, crescimento de 27%. Campo Grande tem 595.174 eleitores e orçamento previsto para 2017 de R$ 3,5 bilhões.

Comentários

comentários