TJ marca julgamento de Gilmar Olarte e convoca 32 testemunhas para depor

Trinta e duas pessoas devem prestar depoimento no Plenário Criminal do Tribunal de Justiça de Mato Grosso do Sul no dia 27 de novembro, sobre suposto esquema de lavagem de dinheiro e corrupção passiva que tem como pivô o prefeito afastado da Capital, Gilmar Olarte. Ronan Feitosa e Luis Marcio dos Santos Feliciano também são réus no caso.

14ola

Na semana passada, o desembargador responsável pelo caso, Luiz Cláudio Bonassini, havia marcado a audiência para ouvir testemunhas de acusação e defesa e hoje foram expedidos os mandados de intimação.

O desembargador marcou a audiência para às 9 horas. Primeiro serão ouvidos os três réus, Gilmar, Ronan e a responsável legal de Luís, Maria Ferreira Feliciano, além de 29 testemunhas.

Foram intimados para testemunhar em defesa de Gilmar Olarte o ex-governador do Estado e ex-prefeito de Campo Grande André Puccinelli (PMDB), o ex-prefeito Nelson Trad Filho, o atual prefeito Alcides Bernal, a vice-governadora Rose Modesto (PSDB), o presidente afastado da Câmara dos Vereadores, Mário Cesar (PMDB), e o ex-secretário de Governo e Relações Institucionais, Rodrigo Pimentel

Além deles constam na lista de depoentes policiais militares lotado no Gaeco (Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado), Afonso Luiz Taveira, Paulo Sérgio Batista de Oliveira, e Elvis Basilio Luiz de Freitas; e o coordenador do Gaeco, Marcos Alex Vera de Oliveira.

Também serão ouvidos Mizael Ferreira da Paixão Agostinho, Fabrice Amaral, Izabel Aparecida Nantes, Luciene Pereira Almeida, Agenor Ortigoza Aparecido, Carlos Lima da Silva, Jeferson Ferreira Vitorino, Mauro Alessandro Souza de Freitas, Acácio Pereira da Silva, Altamir Juarez da Roca, Ana Maria Ferreira Feliciano e Ito de Melo Andrade.

Gilmar e Ronan trocaram folhas de cheques em brancos e causou o prejuízo no valor de R$ 1 milhão nos cofres da Prefeitura Municipal de Campo Grande.

Comentários

comentários