TJ garante a André e dois vereadores acesso à Coffee Break

A Seção Criminal do TJMS (Tribunal de Justiça de Mato Grosso do Sul), convalidou liminar impetrada pela defesa do ex-governador, André Puccinelli e dos vereadores Carla Sthepanini e Edil Albuquerque, ambos do PMDB, para ter acesso ao procedimento investigatório criminal da operação “Coffe Break”, realizada pelo Gaeco (Grupo de Atuação Especial de Repressão ao Crime Organizado), para investigar a compra de parlamentares, na cassação do prefeito Alcides Bernal(PP).

O ex-governador André Puccinelli  e o advogado Rene Siufi  no Gaeco apos prestar depoimento em setembro deste ano
O ex-governador André Puccinelli e o advogado Rene Siufi no Gaeco apos prestar depoimento em setembro deste ano

O advogado Renê Siufi, responsável pelo pedido, informou que o acesso já havia sido dado após o mandado de segurança ser concedido. O MPE (Ministério Público Estadual) tentou uma nova liminar contra a decisão, mas ela foi negada e hoje o caso foi julgado pela Seção Criminal, confirmando a decisão anterior. Siufi disse que vai requerer novamente ao Gaeco o acesso a alguns depoimentos que ele ainda não teria recebido.

Os vereadores, além do ex-governador André Puccinelli, negaram qualquer participação em um esquema de compra de votos de vereadores, feitos por empresários, com a intenção de cassar o mandato de Alcides Bernal (PP) , que estaria prejudicando os interesses comerciais. Eles alegaram que votaram pela cassação, em março de 2014, porque existiam provas levantadas pela CPI da Inadimplência e Comissão Processante, que apontavam irregularidades na gestão de Bernal.

Já Puccinelli disse que não atuou nem para cassar o prefeito e muito menos para o seu retorno. Nesta oportunidade ainda disse que tem as contas abertas a disposição da Justiça, desde 1997.

Com a confirmação da liminar pela Seção Criminal, agora o MPE pode ainda tentar impedir que Puccinelli e os dois vereadores tenham acesso, recorrendo ao próprio TJ ou a instâncias superiores.

Comentários

comentários