Tite admite angústia com pouco tempo de trabalho até a Copa

Após anunciar os 25 nomes que estarão presentes nos amistosos da Seleção Brasileira em novembro, contra Japão e Inglaterra, Tite falou a respeito de suas escolhas e o período diante do qual se encontra, em vias de entrar na reta final para a Copa do Mundo da Rússia, em 2018. O comandante assumiu estar angustiado com os poucos encontros que terá com os jogadores até o Mundial, o que lhe deixa sem muitas oportunidades para novos testes e observações.

“Me angustia, sim. Este é o lado humano, vou falar do lado humano. Me deixa incomodado, com energia para observar tudo. Não subi nenhuma vez essa semana para almoçar, porque fiquei voltado para meu trabalho, queria ser o mais justo possível. ‘Com 23 (convocados), vou cometer injustiças’, até porque sou humano. Um cara de princípios, que sabe que o atleta pensa ‘eu fiz por merecer’. O lado humano talvez seja o que mais me incomoda”, assumiu.

Tite assumiu incômodo com poucas oportunidades para testes até a Copa (Foto: Pedro Martins/MoWA Press)

Questionado a respeito da realização de novos amistosos para preparar a equipe, e fechar a lista final dos convocados para o torneio mais importante do mundo futebolístico, Tite confirma a intenção de disputar partidas a nível de Copa do Mundo, com seleções já qualificadas para a mesma.

“Esse é um segundo estágio, são etapas que vamos construindo e passando. Teve a etapa de classificação, depois crescimento e consolidação da equipe, sem desestruturar. Eu não tenho competência para mudar sete ou oito jogadores e dar uma real avaliação dele. Essa terceira etapa contra equipes europeias e asiáticas, daqui a pouco uma equipe africana. Criar possibilidades de enfrentamento desse nível”, apontou.

O Brasil encara o Japão, em Lille (França), no dia 10 de novembro, e em seguida pega a Inglaterra, em londres, no dia 14. Os outros amistosos já marcados estão previstos para o mês de março de 2018, contra Alemanha e Rússia. De fato, com poucas oportunidades para mexer na equipe, Tite não deve mexer mais na relação. Ele reconhece que ainda tem dúvidas em alguns pontos, mas afirma que o leque está cada vez mais fechado.

Comentários

comentários