Terremoto de magnitude 6.0 atinge o Sul do Japão e derruba prédios

Um terremoto de 6.0 de magnitude atingiu o sul do Japão nesta quinta-feira (14), segundo o USGS (Serviço Geológico dos Estados Unidos).

Funcionária recolhe louça quebrada que caiu de prateleira em um restaurante após um terremoto de 6,2 em Kumamoto, sul do Japão (Foto: AP)
Funcionária recolhe louça quebrada que caiu de prateleira em um restaurante após um terremoto de 6,2 em Kumamoto, sul do Japão (Foto: AP)

O epicentro foi a 11 km a leste da cidade de Kumamoto. Vários prédios desmoronaram após o tremor que aconteceu às 21h26 no horário local (9h26 de Brasília).

O principal porta-voz do governo do Japão, Yoshihide Suga, afirmou que prédios desmoronaram, mas não deu detalhes, segundo a Reuters.

Não há alerta de tsunami (onda gigante com potencial destrutivo), assegurou o porta-voz. Também não houve impacto no funcionamento dos reatores nucleares na ilha de Kyushu ou nas proximidades de Shikoku, de acordo com a agência Reuters.

A polícia de Kumamoto diz que recebeu relatos de que várias pessoas que ficaram presas sob casas destruídas, de acordo com o site da TV japonesa NHK. O prefeito afirmou que há relatos de fogo em alguns pontos da cidade. A cidade de Mashiki, de 34 mil habitantes, também registrou um incêndio.

A imprensa também informou que os trens de alta velocidade estavam paralisados por precaução, informou a France Presse.

Repórteres do escritório da NHK em Kumamoto disseram ter sentido um forte tremor por cerca de 30 segundos.

“Temos a intenção de fazer o máximo para compreender a situação”, afirmou o primeiro-ministro, Shinzo Abe. O governo ainda está coletando informações sobre os eventuais estragos.

Inicialmente, o Serviço Geológico dos EUA disseram que o tremor tinha 6.2 de magnitude, mas esse número foi revisado. A NHK afirma que a magnitude registrada foi de 6.4. Trinta minutos depois foi registrado outro tremor, de 5,7 graus de magnitude, sem alerta de tsunami.

Círculo de fogo do Pacífico

O Japão está localizado sobre o chamado “Círculo de Fogo do Pacífico”, uma das zonas sísmicas mais ativas do mundo, e sofre terremotos com relativa frequência. De acordo com a France Presse, o país chega cada ano registrar mais de 20% dos terremotos mais fortes do planeta. A infraestrutura do país foi desenvolvida especialmente para suportar os tremores.

Em 2011, um terremoto de magnitude 8,9 atingiu a costa nordeste do Japão, gerando um tsunami de até dez metros de altura que varreu a costa do país, matando pelo menos 288 pessoas e causando destruição.

Comentários

comentários