Temer não responde perguntas da PF e pede arquivamento de inquérito no STF

UOL/JN

O presidente da República, Michel Temer, por meio de seus advogados, pediu nesta sexta-feira (9), o arquivamento do inquérito que corre contra ele no STF (Supremo Tribunal Federal), no qual é investigado por suspeita de envolvimento nos crimes de corrupção e obstrução à Justiça.

Presidente Michel Temer (PMDB-SP) (Foto: Divulgação )

Em petição assinada pelo advogado Antônio Cláudio Mariz de Oliveira e endereçada ao ministro do STF Edson Fachin, a defesa afirma que as 82 perguntas enviadas à PF se desviaram do tema do inquérito e, por isso, o presidente da República não as responderá.

“Culto Ministro, todas as considerações acima possuem o condão de mostrar as razões que levaram o Sr. Presidente a não responder ao questionário feito. Sem embargo do sentimento de injustiça e do sofrimento pessoal e de seus familiares, permanece pronto a atender quaisquer demandas de Vossa Excelência e do Excelso Supremo Tribunal Federal, tendo e passando a certeza de que dará continuidade à obra a qual se propôs: Contribuir eficazmente para a construção da Nação dos nossos sonhos”, diz trecho da petição.

“Pelo exposto, em face da absoluta inanição de elementos probatórios mínimos a indicar o “fumus boni juris” necessário a lastrear a propositura de uma denúncia, requer-se a remessa dos autos ao E. Procurador Geral da República para que Sua Excelência, na qualidade de titular da ação penal, e, especialmente, como fiscal do cumprimento da lei, promova o arquivamento do presente Inquérito, como expressão do ideal de Justiça!”, encerra o texto protocolado no inquérito do STF.

Comentários

comentários