Suspensa reintegração de posse de Igreja construída em terreno grilado

A Justiça suspendeu a decisão liminar de reintegração de posse contra igreja evangélica Assembleia de Deus Nova Aliança do Brasil, onde o vice-prefeito afastado de Campo Grande, Gilmar Olarte (PP), é pastor. Olarte que é fundador e dono da denominação religiosa, teve a ação contra a igreja deferida e que determinou a retomada da área, principal sede da ADNA, que foi erguida de forma irregular em área pública, como o Página Brazil divulgou na quarta-feira.

Ex-prefeito Gilmar Olarte (Foto: Divulgação )
Ex-prefeito Gilmar Olarte (Foto: Divulgação )

O juiz José Ale Netto, da 4ª Vara de Fazenda Pública e Registros Públicos, tinha concedido liminar na quarta-feira (25) em favor da prefeitura que moveu ação para reintegração de posse.

A igreja foi construída em um terreno do município no bairro Coophamat. Um oficial de Justiça foi até o endereço, mas adiou o cumprimento do mandado para segunda-feira (30).

Igreja deve sair imediatamente e fica sem sede e sem nome

O juiz deferiu a liminar que determina a desocupação imediata dos imóveis, sob pena de desocupação coercitiva. A decisão é de 19 de maio e o mandado de reintegração é datado de 24 de maio. De acordo com o procurador-geral do município, Denir de Souza Nantes, o mandado está com o oficial do Justiça, mas não é possível precisar quando a ordem será cumprida.

Nome – No ano passado, a igreja foi proibida pela Justiça de utilizar a marca ADNA e o logotipo (duas alianças entrelaçadas) em meio escrito, falado, mídia eletrônica, banners, outdoor e letreiros. Esta liminar foi concedida a pedido da igreja evangélica ADNA (Assembleia de Deus Nova Aliança) – Ministério Santa Cruz, com sede em Cuiabá, capital do Mato Grosso, fundada em 2002.

Comentários

comentários