Suplente entra com novo pedido para assumir o cargo de Chocolate

Na última terça-feira (8) o pedido para abertura de processo da suplente Jacqueline Hildebrand Romero (PP) para ocupar o lugar do vereador Waldecy Batista Nunes (PP), o Chocolate, envolvido na investigação deflagrada pela Operação Coffee Break, sobre um suposto esquema de compra de votos que teria garantido, em 2013, a cassação de Alcides Bernal, foi extinto pelo desembargador Luiz Claudio Bonassini, que nem chegou a apreciar a solicitação.

10jaque
Jacqueline Hildebrand Romero quer vaga de vereador

No despacho, Bonassini afirma que, por não ser parte da ação, Jacqueline Hildebrand não pode fazer a solicitação neste processo. Isso caberia ao Ministério Público Estadual, que não o fez.

A suplente, que é advogada, entrou com novo pedido, na tarde de hoje (10), no Gaeco (Grupo de Atuação Especial de Repressão ao Crime Organizado), solicitando o afastamento do vereador. “È uma medida também para evitar que o Chocolate fique próximo dos membros e da Comissão de Ètica que foi aberta na Câmara Municipal para investigar a quebra de decoro. Ele tem cinco dias para apresentar a defesa”.

Ela disse também que vai aguardar a manifestação da Justiça Eleitoral.

Hilbrand ocupava o cargo de Ouvidora-Geral do Município de Campo Grande na administração de Gilmar Olarte, que foi afastado por determinação da Justiça, sob suspeita de participar do complô para cassar Alcides Bernal, que retornou ao cargo no dia 27 de agosto.

Comentários

comentários