Sorrir demais pode te fazer estúpido e desonesto, diz estudo

Em países onde a corrupção é forte, pessoas muito sorridentes são vistas com desconfiança e consideradas menos inteligentes

Um sorriso é sempre símbolo de energia boa e simpatia, certo? Não para todo mundo. Pelo menos é isso que revelou um estudo feito em vários países com culturas diferentes. Em alguns lugares, sorrir vai te fazer parecer inteligente e confiante, mas em outros, você pode passar por estúpido e desonesto.

A corrupção tem o poder de enfraquecer o significado positivo de um sorriso e por isso, saber o que ele representa em cada país pode ser fundamental para as relações internacionais Foto: kurhan / Shutterstock
A corrupção tem o poder de enfraquecer o significado positivo de um sorriso e por isso, saber o que ele representa em cada país pode ser fundamental para as relações internacionais Foto: kurhan / Shutterstock

Para chegar a esse resultado, os pesquisadores mostraram algumas fotos a 4.519 pessoas de 44 culturas diferentes em seis continentes. Nessas imagens tinham pessoas sorrindo e outras bem sérias. O intuito era captar a impressão dos entrevistados sobre os semblantes das pessoas nas fotos.

Países como Japão, Índia, Irã, Coréia do Sul, Rússia e França (sim, os franceses estão nessa lista), classificaram as pessoas muito sorridentes como menos inteligentes. Já na Alemanha, Suíça, Malásia, China e Áustria quem gosta de sorrir se deu bem, pois foi considerado portador de uma inteligência superior.

Sorriso x Honestidade
A impressão dos entrevistados quanto a honestidade das pessoas na foto também chamou a atenção no estudo. Embora para a maioria das pessoas (37 das 44 culturas), uma pessoa sorridente parece ser mais honesta, os pesquisadores perceberam que em países onde a corrupção é bastante presente e forte, como na Argentina, nas Maldivas e em Zimbabwe, elas hesitaram frente a essa questão.

Esse fato, segundo os cientistas, mostra que a corrupção tem o poder de enfraquecer o significado positivo de um sorriso e por isso, saber o que ele representa em cada país pode ser fundamental para as relações internacionais.

Conexão
Para Dennys Baêtas Rocha, cirurgião-dentista especialista em Dentística e membro da Associação Brasileira de Halitose (ABHA), o sorriso vai além de tudo isso, ele estabelece uma relação entre as pessoas e as revela.

“Mesmo existindo diferenças de percepção, especialmente por questões culturais, temos muitos estudos que demonstram a comunicação de sentimentos dos mais variados através do sorriso: alegria, amor, vergonha, desprezo, só para mencionar alguns”, diz o especialista.

Cultura da perfeição
No entanto, Dennys acredita que aqui no Brasil nós sofremos uma grande influência da cultura norte-americana que estabelece padrões de sorrisos perfeitamente estéticos como o ideal. Nesse tipo de cultura, um sorriso (bonito) significa status, fama e poder.

“Muita gente vê as pessoas que estão na mídia como referência de sucesso, saúde e beleza, então existe uma associação, uma ideia de que você precisa ser assim, precisa ter, por exemplo, um sorriso branco e alinhado, para estar lá”, diz o dentista.

Para ele, por conta dessa influência citada acima, os brasileiros têm cuidado mais da saúde e da beleza e têm dado importância muito maior ao sorriso do que em décadas anteriores.

“Por conta disso, existe sim um impacto negativo e até algum tipo de bullying contra uma pessoa que tem dentes deteriorados, mal cuidados, e com certeza isso é levado em consideração nos meios sociais e profissionais”, diz Dennys.

E a maior prova do aumento dessa busca pelo sorriso perfeito está nos dados. “Li algum tempo atrás numa revista de economia que apenas o mercado nacional de implantes movimenta cerca de 400 milhões de reais ao ano e ainda existe potencial de crescimento visto que muitos brasileiros só vão ao dentista quando sentem dor e um percentual significativo não procura regularmente um atendimento odontológico”, diz Dennys. (Agência Beta)

Comentários

comentários