Solto, João Amorim entra mudo e sai calado após novo depoimento ao Gaeco; Vídeo

O empresário João Amorim chegou por volta das 9 horas à sede do Gaeco (Grupo de Atuação Especial de Repressão ao Crime Organizado) e prestou por 3 horas novo depoimento ao promotor Marcos Alex Vera de Oliveira, que apura denúncias de compra de votos de vereadores no processo de cassação do prefeito Alcides Bernal (PP), em 2014. Ele se negou a falar com a imprensa tanto na chegada quanto na saída.

Amorim saiu da mesma forma que chegou. Calado
Amorim saiu da mesma forma que chegou. Calado Foto Kerolyn Amorim

Amorim, principal alvo da Operação Lama Asfáltica, teve a prisão decretada na última quinta-feira (1º) pelo desembargador Luiz Cláudio Bonassini, do Tribunal de Justiça de Mato Grosso do Sul. A mesma decisão também valeu para o prefeito afastado Gilmar Olarte. As prisões ocorreram em função da Operação Coffee Break, do Gaeco.

O magistrado acatou o pedido feito pelo Ministério Público Estadual, em que acusa o empresário e Olarte de comprarem votos de vereadores para cassar o prefeito.

No mesmo dia, Amorim se entregou à polícia, mas, na noite da sexta-feira (2), por meio de um habeas corpus do Superior Tribunal de Justiça, o empresário conseguiu deixar a Delegacia Especializada de Repressão a Roubos a Bancos, Assaltos e Sequestros, local em que estava preso.

Já o ex-prefeito Gilmar Olarte, que deve prestar depoimento amanhã, poderá ser liberado nesta terça quando vencem os cinco dias da prisão temporária solicitada pelo Gaeco.

Comentários

comentários