Sobe para 12 nº de mortos em incêndio em prédio de Londres

G1/JP

Policiais isolam área próxima ao prédio em chamas durante o amanhecer em Londres (Foto: Daniel Leal-Olivas/AFP)

O grande incêndio que atingiu e destruiu um prédio de 24 andares e 120 apartamentos, na zona oeste de Londres, na Inglaterra, na madrugada desta quarta-feira (14), deixou ao menos 12 mortos e 78 feridos. Não há informações sobre o que teria provocado as chamas na Grenfell Tower, que passou por uma reforma em 2016.

A polícia confirmou 12 mortes até o momento e diz que o número deve aumentar, pois não há mais esperança de se encontrar sobreviventes. De acordo com o chefe da Brigada de Incêndio, os bombeiros resgataram 65 pessoas do edifício.

Embora tenham cogitado mais cedo, os bombeiros descartaram o risco de desabamento. O edifício, construído em 1974, em North Kensigton, fica a 2,7 km da residência do príncipe Willian e da sua mulher, Kate Middleton.

Setenta e oito feridos estão internados em seis hospitais, sendo que 18 estão em estado grave. O incêndio é um dos maiores registrados em Londres. “Nunca vi nada parecido com esse incêndio em 29 anos de trabalho”, declarou o chefe da Brigada de Incêndio de Londres, Dany Cotton.

Os bombeiros devem ficar pelo menos mais 24 horas no local, até que o fogo seja extinto. O chefe da Brigada de Incêndio afirmou ainda que alguns bombeiros tiveram feriamentos leves durante o resgate.

Testemunhas relataram que crianças foram jogadas das janelas da Grenfell Tower e várias pessoas se atiraram do edifício, em uma tentativa desesperada de fugir das chamas. “Há muitos corpos de crianças e adultos no chão, há muita gente que não conseguiu escapar”, contou uma delas à emissora americana CNN.

Outras gritavam pedindo ajuda para que seus filhos fossem resgatados. Os bombeiros também buscam sobreviventes. Um morador do 7º andar disse à BBC que o alarme de incêndio não tocou.

Cerca de 200 bombeiros, a polícia e os serviços de ambulâncias foram mobilizados. Por volta de 5h, as chamas foram controladas, mas ainda era possível ver focos de incêndio em alguns andares mais altos.

Os bombeiros foram chamados por volta da 1h15 local (21h15 de terça, em Brasília) para apagar o incêndio no edifício. Dezenas de pessoas, moradores ou não do edifício, saíram às ruas, muitos apenas de pijama.

Como parte da estrutura foi consumida pelo fogo e os bombeiros chegaram a cogitar o risco de colapso, a polícia esvaziou residências vizinhas.

Comentários

comentários