Sobe número de pessoas desaparecidas em Mariana

Subiu para 23 o número de desaparecidos depois que duas barragens de minério se romperam no distrito de Bento Rodrigues, em Mariana, Minas Gerais. Segundo o Corpo de Bombeiros, 10 deles eram moradores da região e os outros 13 são operários da mineradora Samarco, que pertence à Vale e à BHP.

Vista de área atingida pela enxurrada (Foto: UOL)
Vista de área atingida pela enxurrada (Foto: UOL)

Uma pessoa morreu e duas mil foram afetadas pela tragédia, segundo a prefeitura de Mariana.

O prefeito Duarte Júnior (PPS), no entanto, já declarou, neste sábado, que o total de vítimas fatais deve subir “com certeza”.

Com informa o repórter Leonardo Leal, da BandNews FM, a lista completa com mais informações sobre os desaparecidos será divulgada ainda neste sábado, de acordo com as autoridades.

Mais de 500 pessoas, incluindo bombeiros, policiais e centenas de voluntários, estão trabalhando contra o tempo para encontrarem os desaparecidos.

De acordo com a nota da mineradora Samarco, ainda não há confirmação das causas e da completa extensão dos danos. “Investigações e estudos apontarão as reais causas do ocorrido”.

Licenças de operação

O comunicado diz ainda que as barragens da Samarco são compostas por quatro estruturas: barragens de Germano, Fundão, Santarém e Cava de Germano e que todas têm licenças de operação concedidas pela Superintendência Regional de Regularização Ambiental. “A última fiscalização ocorreu em julho de 2015 e indicou que as barragens encontravam-se em totais condições de segurança”, disse o presidente da Samarco, Ricardo Vescovi.

A Samarco informou também que faz inspeções próprias, conforme a Lei Federal de Segurança de Barragens e conta com equipe de operação em turno de 24 horas para manutenção e identificação de qualquer anormalidade.

Cidade pode desaparecer

De acordo com Pedro Cortes, geólogo da Universidade de São Paulo, Bento Rodrigues pode deixar de existir no local onde é hoje. O mais provável é que a reconstrução do distrito aconteça em outro local.

UOL

 

Comentários

comentários